No museu, o Amanhã no entrelaçamento entre história e memória

Elaine Daróz, Lucilia Maria Abrahão e Sousa

Resumo


Sob uma efeito de evidência, os dizeres/sentidos (re)produzidos ao longo dos tempos, se regularizam numa relação intrínseca entre história e memória. A nosso pensar, ao extrapolarem a linguagem, esses dizeres se materializam nas práticas sociais, produzindo efeitos nos sujeitos discursivos. Filiados na Análise do discurso de linha pecheutiana, propomos neste trabalho uma reflexão sobre os sentidos inscritos no Museu do Amanhã (MA), buscando, nesse gesto, um diálogo com o conceito de Presentismo, fundado pelo historiador Hartog (2011). No estabelecimento da disciplina, Pêcheux se ancorou numa tríplice aliança entre diferentes campos do saber, dentre os quais a História oferece relevante contribuição. Ao propormos esse diálogo, já iniciado por Pêcheux, consideramos que nos fornecerá maiores subsídios para uma desnaturalização desses sentidos, bem como uma melhor compreensão dos seus efeitos na esfera social. Ao longo do nosso trabalho, observamos que afinados com as demandas da atualidade, o MA regulariza uma memória sobre o Brasil, e o brasileiro, com vistas a uma idealização de povo e representação de sociedade.


Palavras-chave


Museu do Amanhã; Análise do discurso; Presentismo; Memória; História;

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


ALTHUSSER, L. Ideologia e Aparelhos ideológicos do Estado. Lisboa: Presença, 1970.

CARLAN, C. U. Museums and Historical Heritage: a complex relationship. História, São Paulo, v.27, n.2, p.75-88, 2008.

HARTOG, F. Crer em História. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

HARTOG, F. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Cadastro Nacional de Museus. Disponível em: . Acesso em 6 set 2018.

LACAN, J. (1958-1959). O Seminário, Livro 6: O desejo e sua interpretação. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

LÉVY, P. O que é o virtual? São Paulo: Ed. 34, 1996.

MARIANI, B. C. S. Sujeitos e discursos contemporâneos. In: INDURSKY, F; LEANDRO FERREIRA, M.C.; MITIMMAN, S. (orgs). O discurso na contemporaneidade: materialidades e fronteiras. São Carlos: Claraluz, 2009.

ORLANDI, E. P. As formas do silêncio no movimento dos sentidos. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

ORLANDI, E. P. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. Campinas: Pontes, 2006.

ORLANDI, E. P. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. Campinas: Pontes, 2001.

PÊCHEUX, M. [1982]. Ler o arquivo hoje. In: ORLANDI, E. P. (Org.). Gestos de leitura. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.

PÊCHEUX, M. Análise automática do discurso (AAD-69). In: GADET, F.; HAK, T. (orgs.). Por uma análise automática do discurso. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Editora da Unicamp, 1988.

PÊCHEUX, M. Papel da memória. In: ACHARD, P. (org.). Papel da memória. Campinas: Pontes, 1999.

ROMÃO, L. M. S. Exposições do Museu da Língua Portuguesa: arquivo e acontecimento e(m) discurso. São Carlos: Pedro & João Editores, 2011.

ROSARIO, C. C. do. O lugar mítico da memória. Morpheus. Revista Eletrônica de Ciências Humanas, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, 2002.

SOUSA, L. M. A.; GARCIA, D.; FARIA, D. Eu curto, tu curtes, ele (não me) curte: notas sobre o funcionamento do arquivo no Face. RUA, Campinas, v.23, p. 221-241, 2017.

SOUSA, L. M. A. De presença e ausência, trilhamentos discursivos em dois museus. In VENTURINI, M. C. Museus, arquivos e produção do conhecimento em (dis)curso. Campinas, Pontes, 2017.

VERNANT, J-P. Mito e pensamento entre os gregos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

ZOPPI-FONTANA, M. G. Arquivo jurídico e exterioridade. A construção do corpus discursivo e sua descrição/interpretação. In: GUIMARÃES, E. ; BRUM, M. (Orgs). Sentido e Memória. Campinas: Pontes, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rlr.v8i2.1377

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Letras Raras

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores:

           


VISITANTES NO MUNDO DA REVISTA LETRAS RARAS: