ESCRITA ACADÊMICA DE PESQUISADORES APRENDIZES NO CIC-UFCG: CONSTATAÇÕES E REFLEXÕES

Roberta Andrade Meneses, Williany Miranda da Silva

Resumo


RESUMO: A produção escrita de gêneros acadêmicos é um componente fundamental da formação em nível superior, não obstante, tal produção é comumente tomada por estudantes de graduação como complicada, difícil, e por que não dizer, incompreensível, já que, em geral, contrasta com as práticas de escrita advindas da escola. Desse modo, muitas das dimensões caracterizadoras da escrita acadêmica, em diferentes campos disciplinares, permanecem nebulosas durante toda a graduação, algo para o que contribui o caráter tácito das convenções que regem a escrita em domínio acadêmico. A partir deste quadro, o presente trabalho tem por objetivo oferecer maior visibilidade ao complexo cenário da aquisição de escrita especializada por graduandos inseridos em programas de pesquisa, os chamados pesquisadores aprendizes. Para tanto, analisamos abstracts, produzidos em língua portuguesa, publicados pelo CIC-UFCG (Congresso de Iniciação Científica da Universidade Federal de Campina Grande), na busca por marcas atestadoras da aquisição de escrita acadêmico-científica por parte dos referidos sujeitos. Os resultados indicam a existência de diferentes níveis de desenvolvimento de escrita, indiciados, principalmente, pela capacidade que os sujeitos apresentam de agenciar sua escrita, inscrevendo-se no discurso por meio da assunção à voz de pesquisador.

Palavras-chave: Letramento acadêmico-científico. Pesquisador aprendiz. Gênero abstract.


Texto completo:

PDF

Referências


BEHLING, J. Resumos de comunicação e o agenciamento da escrita científica. Dissertação – UEC – Campinas, SP, 2008.

BEZERRA, B. G. Letramentos acadêmicos na perspectiva dos gêneros textuais. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 9, n. 4, p. 247-258, out./dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 22 mar. 2013.

BHATIA, Vijay K. Analyzing genre: language use in professional settings. London: Longman, 1993.

COSTA VAL, M. G. Redação e textualidade. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FERREIRA, C; A. Desenvolvimento da escrita na academia: investigação longitudinal do percurso de licenciandos em Letras. Dissertação de Mestrado. Unidade Acadêmica de Letras, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB, 2014.

MEY, J. L. As vozes da sociedade: Seminários de pragmática. Campinas, SP: Mercado da Letras, 2001.

MENESES, R. A. Produção de Abstracts no VIII Congresso de Iniciação Científica da UFCG: O que é requerido e o que é demonstrado? Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso) – Unidade Acadêmica de Letras, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB, 2013.

MENESES, R. A. A escrita acadêmica do pesquisador aprendiz: abstracts em eventos científicos. Dissertação de Mestrado. Unidade Acadêmica de Letras, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB, 2015.

MOTTA-ROTH, D.; HENDGES, G. R. Uma análise transdiciplinar do gênero Abstract. In: Intercâmbio. Vol. 7: 1998, p. 125-134.

MOTTA-ROTH, D.; HENDGES, G. R. Produção textual na universidade. São Paulo: Parábola, 2010, p. 151 - 162.

ORTEGA Y GASSET, J. Missão da universidade. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1999.

PIRES, R. C. M. A formação inicial do professor pesquisador universitário no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC/CNPq e a prática profissional de seus egressos: Um estudo de caso na Universidade do Estado da Bahia. Tese – UFRS - Porto Alegre, RS, 2008

SILVA, E. M. Professora como é que se faz? Campina Grande, PB: Bagagem, 2012.

STREET, B. Os novos estudos sobre o letramento: histórico e perspectivas. In.: MARINHO. M.;CARVALHO, G. T. (Orgs.) Cultura escrita e letramento. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

SWALES, J.; FEAK, C. Academic Writing for Graduate Students, Ann Arbor, the university of Michigan Press, 1994.

SWALES, J. M. Sobre modelos de análise do discurso. In: BIASI-RODRIGUES, Bernardete; ARAÚJO, Júlio César; SOUSA, Socorro Cláudia Tavares de (Orgs.). Gêneros textuais e comunidades discursivas: um diálogo com John Swales. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009. (Coleção Leitura, Escrita e Oralidade).




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v18i1.971

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

                                                   

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _< __________________________________________________