UMA QUESTÃO DELICADA: A QUALIDADE DOS LIVROS LITERÁRIOS INFANTIS SOB O OLHAR DAS CRIANÇAS

Maria Elisa de Araújo Grossi, Maria Zélia Versiani Machado

Resumo


Este artigo é resultado de uma pesquisa de Doutorado que teve como foco analisar elementos destacados por crianças do 1º Ciclo em livros considerados Altamente Recomendáveis para crianças pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ). Como metodologia de pesquisa, desenvolvemos conversações literárias com 25 crianças, divididas em grupos formados por 4 ou 5 leitores, tendo como referência a dinâmica do Círculo de Leitura (DANIELS & STEINEKE, 2004; COSSON, 2014) e o enfoque Dime (CHAMBERS, 2007), que estimulam o leitor a falar de suas leituras e a compartilhar as suas ideias com o outro. O objetivo era observar o que as crianças diziam sobre os livros, que questões formulavam e por que escolhiam determinadas obras para a pesquisadora realizar uma leitura compartilhada. As interações realizadas foram filmadas e gravadas em áudio. Este texto convida a uma reflexão sobre a polêmica e complexa questão da qualidade de uma obra literária.



Palavras-chave


Palavras-chave: Qualidade estética. Livro Infantil. Criança leitora.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, J. V de. Literatura infantil no Brasil: a voz da FNLIJ nas premiações de 2012 e 2013. 2015. 185 f. Doutorado (Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

ALARCÃO, R. As diferentes técnicas de ilustração. In: OLIVEIRA, I. (Org.). O que é qualidade em ilustração no livro infantil e juvenil: com a palavra, o ilustrador. São Paulo: DCL, 2008. p. 61-73.

ANDRUETTO, M. T. Por uma literatura sem adjetivos. Trad. Carmem Cacciacarro. São Paulo: Editora Pulo do Gato, 2012. 208 p.

ARROYO, L. Literatura infantil brasileira. 3. ed. São Paulo: Unesp, 2011. 370 p.

BENJAMIN, W. Reflexões sobre a criança, o brinquedo, a educação. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2009. 176 p.

BERNARDO, G. A qualidade da invenção. In: OLIVEIRA, I. de (Org.). O que é qualidade em literatura infantil e juvenil?: com a palavra, o escritor. São Paulo: DCL, 2005. p. 9-24.

BOURDIEU, P. A economia das trocas simbólicas. Introdução, organização e seleção Sérgio Miceli. São Paulo: Perspectiva, 2007. 424 p.

CHAMBERS, A. Dime: los niños, la lectura y la conversación.Trad. Ana Tamarit Amieva. México: FCE, 2007. 171 p.

COELHO, N. N. Literatura Infantil: teoria, análise, didática. São Paulo: Moderna, 2000. 288 p.

COLOMER, T. A formação do leitor literário: narrativa infantil e juvenil atual. Trad. Laura Sandroni. São Paulo: Global, 2003. 456 p.

COLOMER, T. Introdução à literatura infantil e juvenil atual. Trad. Laura Sandroni. São Paulo: Global, 2017. 336 p.

CORRÊA, H. T. Qualidade estética em obras para crianças. In: PAIVA, A.; SOARES, M. (Org.). Literatura infantil: políticas e concepções. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2008. p. 91-109.

COSSON, R. Círculos de leitura e letramento literário. São Paulo: Contexto, 2014. 192 p.

CUNHA, L. Poesia e humor para crianças. In: OLIVEIRA, I de (Org.). O que é qualidade em literatura infantil e juvenil?: com a palavra, o escritor. São Paulo: DCL, 2005. p. 77-90.

DANIELS, H; STEINEKE, N. Mini-lessons for literature circles. Portsmouth: Leigh Peake, 2004. 292 p.

FARBIARZ, J. et al. Os lugares do design na leitura. Rio de Janeiro: Novas Ideias, 2008.

FUNDAÇÃO NACIONAL DO LIVRO INFANTIL E JUVENIL.

FITTIPALDI, C. O que é uma imagem narrativa? In: OLIVEIRA, I. (Org.). O que é qualidade em ilustração no livro infantil e juvenil: com a palavra o ilustrador. São Paulo: DCL, 2008. p. 93-121.

LAJOLO, M. ZILBERMAN, R. Literatura infantil brasileira: uma nova/outra história. Curitiba: PUC Press, 2017. 152 p.

LINDEN, S. V. D. Para ler o livro ilustrado. São Paulo: Cosac Naify, 2011. 184 p.

HENDEL, R. O design do livro. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003. 224 p.

HUNT, P. Crítica, teoria e literatura infantil. Trad. Cid Knipel. São Paulo: Cosac Naify, 2010. 328 p.

MACIEL, F. I. P. O PNBE e o Ceale: de como semear leituras. In: PAIVA, A.; SOARES, M. (Org.). Literatura infantil: políticas e concepções. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2008. p. 7-20.

MARTHA, A. A. P. Qualidade na literatura infantil e juvenil: como reconhecer na prática de leitura? In: OLIVEIRA, I de. (Org.). O que é qualidade em literatura infantil e juvenil?: com a palavra, o educador. São Paulo: DCL, 2011. 408 p.

OLIVEIRA, I de. (Org.). O que é qualidade em literatura infantil e juvenil?: com a palavra, o escritor. São Paulo: DCL, 2005. 200 p.

OLIVEIRA, I de. (Org.). O que é qualidade em ilustração no livro infantil e juvenil: com a palavra, o ilustrador. São Paulo: DCL, 2008. 216 p.

OLIVEIRA, I de. (Org.). O que é qualidade em ilustração no livro infantil e juvenil?: com a palavra, o educador. São Paulo: DCL, 2011. 408 p.

QUEIRÓS, B. C. Leitura, um diálogo subjetivo. In: OLIVEIRA, I de. (Org.). O que é qualidade em literatura infantil e juvenil?: com a palavra, o escritor. São Paulo: DCL, 2005. p. 167-174.

RAMOS, G. A imagem nos livros infantis: caminhos para ler o texto visual. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2013. 176 p.

ZILBERMAN, R. A literatura infantil na escola. 11. ed. São Paulo: Global, 2003. 235 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v21i1.2065

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

 

 

                                               

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _<

 

Siga Rev Leia Escola nas redes sociais

   Instagram