FORMAÇÃO DE PROFESSORES E TECNOLOGIAS DIGITAIS

Eulália Vera Lúcia Fraga Leurquin, Dora Riestra, Williany Miranda Silva

Resumo


Em documentos oficiais da Educação, nos anos 1998, com os Parâmetros Curriculares Nacionais, as discussões sobre as tecnologias digitais chegaram ao contexto da Linguística Aplicada no Brasil, e às salas de aula de línguas para além das questões já convencionais, tratadas no âmbito da referida disciplina. Essas discussões ganharam força, a partir de 2017, com o lançamento da Base Nacional Comum Curricular do Ensino fundamental, que define, inclusive, um objetivo específico para gêneros textuais provenientes das práticas sociais do contexto digital. Ela lista uma quantidade significativa de habilidades para desenvolver em práticas de linguagem leitura, oralidade/escuta, produção de textos e análise linguística/semiótica, a partir de gêneros textuais provenientes dos campos de atuação (da vida cotidiana, da vida pública, das práticas de estudo e pesquisa, jornalístico midiático e artístico/literário).

Mas, por questões sociais, políticas, culturais e sanitárias, devido à propagação da Covid-19, que exige da humanidade um isolamento social e das escolas novas maneiras de pensar e agir em sala de aula, as discussões sobre as tecnologias digitais tomam novo formato, exigindo do professor outros saberes para ensinar e atuar junto à população. O ofício, a partir dos moldes centrados e dependentes da cultura digital, longe de ser uma prática exclusiva de escolarização, passa a ser monitorado de forma mais específica em outras instâncias como a familiar, por exemplo. De uma formação pautada na cultura do impresso, passa-se uma atuação que integra as tecnologias digitais em sua totalidade. Cenário desafiador e imprevisível, em termos de ensino-aprendizagem, contamos, por ora, com reflexões que perscrutam experiências e recortam particularidades motivadoras e instigantes, relatadas em torno do binômio formação docente e tecnologias digitais.

No contexto atual, pensar uma formação de professor que contemple o espaço sala de aula virtual, a interação didática, as estratégias de ensino e aprendizagem com base na realidade das práticas sociais mediadas pela tecnologia, parece ser uma necessidade concreta para, inclusive, assegurar a própria existência, de maneira significativa, da escola.

Apresentamos, nesta edição temática da Revista Leia Escola, oito artigos e uma entrevista que discutem a formação inicial e continuada de professores e o agir professoral em salas de aula da educação básica, mediado pelas tecnologias digitais. Pretendemos que esta edição possa realmente provocar uma discussão produtiva sobre a temática Formação de professores e tecnologias digitais.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v20i3.2043

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

 

 

                                               

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _<

 

Siga Rev Leia Escola nas redes sociais

   Instagram