NAS TRAMAS DO NHANDUTI: TECENDO A IGUALDADE DE GÊNERO NUM INSTITUTO FEDERAL DE FRONTEIRA

Eli Gomes Castanho, Fabrícia Carla Viviani

Resumo


Este artigo trata da análise de textos produzidos no contexto do ensino médio integrado, em razão da participação em um concurso nacional voltado para a temática da igualdade de gênero. Tais textos configuraram-se como produto final de uma oficina elaborada especialmente para repertoriar os estudantes nesse processo. Nosso objetivo, aqui, é perceber por meio da análise documental, de cunho qualitativo, como os textos como desses alunos-autores deixam entrever a apropriação de um discurso em favor à igualdade de gênero e de combate à violência contra a mulher. Para isso, nosso fazer pedagógico se apoiou nas leituras sobre multiletramentos, somado às leituras do campo das teorias de gênero, com os quais buscamos dialogar num movimento analítico que tem como ponto de partida os textos produzidos. Os resultados apontam para a problematização sobre o silenciamento acerca da violência sofrida, bem como de sua naturalização, o que contribui para a culpabilização da vítima. Além disso, ficaram evidentes aspectos da interculturalidade local e a desconstrução de estereótipos generificados.   


Palavras-chave


Ensino médio integrado; igualdade de gênero; produção de texto; violência contra a mulher.

Texto completo:

PDF

Referências


COPE, B.; KALANTZIS, M. Multiliteracies’: New Literacies, New Learning. Pedagogies: An International Journal, 4(3):164- 195, 2009. ‘Disponível em: https://newlearningonline.com/files/2009/03/M-litsPaper13Apr08.pdf. Acesso em: 28/05/2020.

DUNKER, C. Reinvenção da intimidade: políticas do sofrimento cotidiano. São Paulo: Ubu, 2017.

GARCÍA-CANCLINI, N. Diferentes, desiguais e desconectados. Trad. Luiz Sérgio Henriques. 3ª ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 2009.

hooks, b. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. 4ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2019.

JUNQUEIRA, R. Pedagogia do armário: a normatividade em ação. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 7, n. 13, p. 481-498, jul./dez. 2013.

KILOMBA, G. Memórias de plantação. Episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

MAHER, T. M. A educação do entorno para a interculturalidade e o plurilingüismo. In: KLEIMAN, A.; CAVALCANTI, M. Linguística aplicada: suas faces e interfaces. Campinas: Mercado de Letras, 2007. p. 235-270.

MINAYO, M. C.S. Laços perigosos entre machismo e violência. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 10(1), p. 23-26, (2005). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v10n1/a03cv10n1. Acesso em: 29/05/2020.

MISKOLCI, R.; CAMPANA, M. 'Ideologia de Gênero': notas para a genealogia de um pânico sexual contemporâneo. Sociedade e Estado, v. 32, p. 725-747, 2017.

MOITA LOPES, L. P. Uma Linguística Aplicada Mestiça e Ideológica: Interrogando o campo como linguista aplicado. In: MOITA LOPES, L. P. Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006. p. 13-44.

PENNYCOOK, A. Uma Linguística Aplicada transgressiva. In: MOITA LOPES, L. P. Por uma Lingüística Aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 67-84.

PISCITELLI, Adriana. Gênero: a história de um conceito. In: ALMEIDA, H. B.; SZWAKO, J. Diferenças, Igualdade. São Paulo: Berlendis & Vertecchia, 2009. p. 116-148.

ROJO, R.H.R. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009.

SANTOS, C. M.; IZUMINO, W. P. Violência contra as Mulheres e Violência de Gênero: Notas sobre Estudos Feministas no Brasil. Estudios Interdisciplinarios de América Latina y Caribe. v. 16, n. 1, p. 147-164, 2005. Disponível em http://www3.tau.ac.il/ojs/index.php/eial/article/view/482/446 Acesso em 10/05/2020.

SOARES, B. M. A Antropologia no Executivo: Limites e Perspectivas. In: CORRÊA, M. Gênero & Cidadania. São Paulo, PAGU/Núcleo de Estudos de Gênero, UNICAMP, 2002, p. 31-45.

SOARES, F. F; CHAVES, G.; FELIX, J. O que querem ensinar do nosso sexo? A influência do Congresso Nacional sobre gênero e sexualidade nas escolas. EDUCAÇÃO E EMANCIPAÇÃO (UFMA), v. 12, p. 94-117, 2019.

WAISELFISZ, J. J. Mapa da violência 2015: Homicídio de mulheres no Brasil. São Paulo: Flacso, 2015.

______. Mapa da violência 2012: Atualização Homicídio de Mulheres no Brasil. São Paulo: Flacso, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v20i2.1838

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

 

 

                                               

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _<

__________________________________________________

 

Siga Rev Leia Escola nas redes sociais

   Instagram