PRODUÇÃO TEXTUAL NO ENSINO DE LÍNGUA ESPANHOLA: UMA EXPERIÊNCIA COM LIVRO CARTONERO NO CEFET/RJ

Fabiana Oliveira de Souza

Resumo


O objetivo deste artigo é relatar uma experiência de produção textual em língua espanhola, que culminou na elaboração e publicação de um livro cartonero, cuja capa é feita de cartón, “papelão” em espanhol. A partir dos debates sobre meio ambiente e temáticas afins, tendo como subsídio diferentes gêneros discursivos analisados em cada aula, propôs-se que os estudantes produzissem um texto abordando um desses temas. Resultado das atividades desenvolvidas ao longo de um semestre na disciplina de Língua Espanhola com a turma do quarto ano do Ensino Médio do CEFET/RJ, campus Petrópolis, o livro auxilia na formação cidadã desses alunos e faz dialogar teoria e prática, por ser não apenas uma discussão sobre conscientização, mas também uma ação coletiva de reciclagem. A obra atende às expectativas de um curso de língua estrangeira preocupado com a transdisciplinaridade, enfatizando temáticas transversais e interagindo com o mundo para além da instituição de ensino.

Palavras-chave


Produção textual; Ensino de Espanhol; Livro cartonero; Ensino Médio; Rede federal de educação

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAPTISTA, L. M. T. R. Traçando caminhos: letramento, letramento crítico e ensino de espanhol. In: BARROS, C. S.; COSTA, E. G. M. (Coord). Espanhol: ensino médio. (Coleção Explorando o Ensino; v. 16). Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010. p. 119-136.

BRASIL. Orientações curriculares para o ensino médio. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

______. Parâmetros curriculares nacionais – Ensino Médio. Parte I – Bases Legais. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Brasília: Ministério da Educação, 2000a.

______. Parâmetros curriculares nacionais – Ensino Médio. Parte II – Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Brasília: Ministério da Educação, 2000b.

______. Parâmetros curriculares nacionais – Língua Portuguesa. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: Ministério da Educação, 1998.

KLEIMAN. A. Oficina de Leitura: Teoria e Prática. 9. ed. Campinas: Pontes, 2002.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, A. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (Orgs.). Gêneros Textuais & Ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002. p. 19-34.

PINHEIRO-CORREA, P. et al. Confluencia 3 – manual do professor. São Paulo: Moderna, 2016.

ROJO, R. H. R. Concepção de leitor e produtor de textos nos PCNs: “Ler é melhor do que estudar”. In: FREITAS, M. T. A.; COSTA, S. R. (Orgs.). Leitura e Escrita na Formação de Professores. São Paulo: Editora Musa, 2002. p. 31-52.

ROJO, R. H. R.; MOURA, E. (Orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

SANTOS, A. C. El género literario y la comprensión lectora en clases de E/LE. In: II Simposio internacional de didáctica de español para extranjeros. Actas. Rio de Janeiro: Instituto Cervantes do Rio de Janeiro, 2005. Disponível em: https://cvc.cervantes.es/ensenanza/biblioteca_ele/publicaciones_centros/PDF/rio_2005/53_dossantos.pdf. Acesso em: 28 mai. 2020.

SOLÉ, I. Estrategias de lectura. 8. ed. Barcelona: Graó, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v20i2.1831

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

                                                   

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _< __________________________________________________