O QUE PODE ESTA LÍNGUA? CONSIDERAÇÕES SOBRE O ENSINO DE PORTUGUÊS EM CURSOS SUPERIORES DO IFSP

Valmir Luis Saldanha da Silva

Resumo


O presente artigo tem a função de apresentar os resultados parciais de uma pesquisa sobre a relevância ou irrelevância do ensino de língua portuguesa do ponto de vista de estudantes universitários do IFSP de cursos cujo foco não é o dos estudos linguísticos. Para isso, enviamos por e-mail quatro questões abertas sobre este tema para discentes de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Matemática e Pedagogia, do câmpus Campos do Jordão. Após análise qualitativa das respostas, concluímos defendendo a importância de se dar atenção às necessidades dos discentes e apontando para os desafios da docência na educação profissional.


Palavras-chave


Educação profissional. Ensino de língua portuguesa. Análise Qualitativa. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Matemática. Pedagogia.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLEN, A. Michael Young’s The Rise of the Meritocracy: A Philosophical Critique. British Journal of Educational Studies. 59(4), p. 367-382, 2011. Disponível em: . Acesso em: 12 abr, 2020.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BERNSTEIN, L. E. The perceived importance of vuca-driven skills for 21st century leader success and the extent of integration of those skills into leadership development programs. Des Moines, Iowa, 2014. (Tese de doutoramento). Drake University. Disponível em: . Acesso em: 22 abr, 2020.

BONOMA, T. V. Case research in marketing: opportunities, problems and a process. Journal of marketing research. v. XXII, p. 199-208, May, 1985.

BOURDIEU, P. Escritos de Educação. Org. Maria Alice Catani; Afrânio Catani. Petrópolis: Vozes, 1998.

BRASIL. MEC. Lei 11.892, de 29 de dezembro de 2008 (Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências).

______. Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012 (Lei de Cotas: dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio).

CABRITO, B. G. Avaliar a qualidade em educação: avaliar o quê? Avaliar como? Avaliar para quê? Caderno Cedes. Campinas, vol. 29, n. 78, p. 178-200, maio/ago, 2009. Disponível em: . Acesso em 25 maio, 2020.

CAMPOMAR, M. C. Do uso de “estudo de caso” em pesquisas para dissertações e teses em administração. Revista de Administração da USP. São Paulo, v. 26, n. 3, p. 95-97, jul./set. 1991. Disponível em: . Acesso em: 14 mar, 2020.

CASTRO, C. M. A prática da pesquisa. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1977.

CHARAUDEAU, P. Dize-me qual é teu corpus, eu te direi qual é a tua problemática. Revista Diadorim. Rio de Janeiro, Volume 10, Dezembro 2011. Disponível em: . Acesso em 14 mar, 2020.

ECONOMIST. Os segredos da meritocracia. Trad. Terezinha Martinho. Estadão. 24 fev, 2018. Disponível em: . Acesso em 20 maio, 2020.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e Mudança Social. Brasília: Edu - UnB, 2008.

FRAGA, É. Candidatos a professor têm notas abaixo da média do país. Folha de S. Paulo. Educação. 5 dez, 2019. Disponível em: < https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2019/12/candidatos-a-professor-tem-notas-abaixo-da-media-do-pais.shtml>. Acesso em: 25 maio, 2020.

GERRING, J. What Is a Case Study and What Is It Good for? American Political Science Review. Los Angeles, v. 98, n. 2, p. 341-354, May, 2004. Doi: https://doi.org/10.1017/S0003055404001182

GODOY, A. S. Introdução a pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 35, n. 2, p. 57-63, Mar./Abr., 1995. Disponível em: . Acesso em 20 mar, 2020.

HERACLEOS, L. Discourse, Interpretation, Organization. Cambridge: Cambridge University Press, 2006.

HORNEY, N.; PASMORE, B.; O´SHEA, T. Leadership Agility: A Business imperative for a VUCA world. People & Strategy. v. 33, n. 4, p. 32-38, 2010. Disponível em: . Acesso em: 26 maio, 2020.

KOCH, I. G. V. Argumentação e linguagem. São Paulo: Cortez, 2004.

LIMA, L. C. A avaliação institucional como instrumento de racionalização e o retorno à escola como organização formal. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 41, n. especial, p. 1339-1352, dez., 2015. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-9702201508142521

MACHADO, L. R. S. Diferenciais inovadores na formação de professores para a educação profissional. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica. Brasília, v.1, n.1, p. 8-22, jun. 2008.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2003.

MEIER, M.; GARCIA, S. Mediação da aprendizagem: contribuições de Feuerstein e de Vygotski. 7. ed. Curitiba: Edição do autor, 2007.

MOURA, D. H. A formação docente para a educação profissional tecnológica. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica. Brasília, v.1, n.1, p. 23-28, jun. 2008.

ORLANDI, E. P. Análise do discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, 2009.

PIZA, S. L. T. Empresa, educação e meritocracia: a propósito de Michael Young. Revista da Faculdade de Educação. São Paulo, 11(1/2), p. 211-222, jan./dez., 1985. Disponível em: . Acesso em: 01 maio, 2020.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: Métodos e Técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

RISTOFF, D. O Novo Perfil do Campus Brasileiro: uma análise do perfil socioeconômico do estudante de graduação. Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), São Paulo, Sorocaba, vol.19 n.3 p. 723-747, nov., 2014.

ROCHA, C. O livro que criou o termo ‘meritocracia’ é uma distopia. Nexo jornal. 6, nov, 2017. Disponível em: . Acesso em: 20 abr, 2020.

SILVA, A. J. H. da. Metodologia de Pesquisa: Conceitos Gerais. Paraná: Unicentro, 2014.

SKINNER, D.; TAGG, C.; HOLLOWAY, J. Managers and research: the pros and cons of qualitative approaches. Management Learning. v. 31, n. 2, p. 163-179, 2000.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em Educação – o positivismo, a fenomenologia, o marxismo. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

YOUNG, M. The rise of the meritocracy, 1870-2033: an essay on education and equality. Bristol, Great Britain: Penguin Books, 1961.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v20i2.1825

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

 

 

                                               

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _< __________________________________________________