A REPRESENTATIVIDADE DOS INSTITUTOS FEDERAIS NO VII CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUAS

Aline Moraes de Carvalho, Mônica Bomtempo Reis Soares

Resumo


Através de uma metassíntese qualitativa (ALENCAR & ALMOULOUD, 2017) dos estudos apresentados no VII Congresso Latino-americano de Formação de Professores de Línguas que tinham como contexto os Institutos Federais ou que tivessem sido produzidos por docentes dessas instituições, tentamos identificar a formação acadêmica dos professores-pesquisadores, as tendências, recorrências e lacunas tanto nos trabalhos produzidos pelos IF’s quanto aqueles produzidos sobre o ensino de línguas nos IF’s. Observamos o desenvolvimento de uma identidade de professor-pesquisador na área da Linguística Aplicada, que pode ser percebida na participação dos docentes no evento, com trabalhos que abrangeram a maioria dos eixos temáticos existentes. Faltam, porém, mais estudos sobre os desafios enfrentados na sala de aula, especialmente no que concerne a integração entre o ensino das línguas e o conteúdo específico da parte técnica.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, E.S.; ALMOULOUD, S.A. A metodologia de pesquisa: metassíntese qualitativa. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 25, n. 3, p. 204-220, Set./Dez. 2017.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. & GEWANDSZADJDER, F.O. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira, 1998.

ANDRADE, M.C.F.; SOUZA, A. C. R.. A formação de professores para o ensino profissional no Brasil: a construção de um caminho. Anais do III Colóquio Nacional- Eixo Temático III – Formação de professores para a educação profissional. Natal/RN: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, 2015. p. 1-10.

ANDRÉ, M. Pesquisa em educação: questões de teoria e métodos. Educação Tecnológica, v.10, n.1, p. 29-35, jan./jun., 2005.

ARCHANJO, Renata. Linguística Aplicada: uma identidade construída nos CBLA. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 11, n. 3, p. 609-632, 2011

ARRUDA, C.F.B. Experiências bem-sucedidas de inglês na escola pública: a relação entre agência e propiciamento. In: MICCOLI, L. (Org.) Pesquisa experiencial em contextos de aprendizagem: uma abordagem em evolução. Campinas, SP: Pontes Editores, 2014.p.371-406

BORTONI-RICARDO, S.M. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

BRASIL. Relatório de Auditoria - Acórdão nº 506/2013/TCU. Brasília, DF, 2013.

BROWN, J. D.; RODGERS, T. S. Doing Second Language Research. Oxford: Oxford University Press, 2002.

CELANI, M.A.A. Um programa de formação contínua. In: CELANI, Maria Antonieta Alba (Org). Professores e formadores em mudanças: relato de um processo de reflexão e transformação da prática docente. Campinas: Mercado das Letras, 2002, p. 19-36.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GARIGLIO, J.A.; BURNIER, S. Os professores da educação profissional: saberes e práticas. Cadernos de pesquisa. v.44, n.154, p.934-959, out/dez, 2014.

GARIGLIO, J.A.; BURNIER, S. Saberes da docência na Educação profissional e tecnológica: um estudo sobre o olhar dos professores. Educação em Revista, v.28, n.01, p.211-236, mar, 2012.

GIMENEZ, T. Formação de professores de línguas no Brasil: avanços e desafios. In: SANTOS, L.I.S.; SILVA, K.A. (Orgs.). Linguagem, ciência e ensino: desafios regionais e globais. Campinas, SP: Pontes Editores, 2013.p.41-54

JÚNIOR, W.O. A formação do professor para a educação profissional de nível médio: tensões e (in)tenções. In: PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Superintendência de Educação. O professor PDE e os desafios da escola pública paranaense: produção didático-pedagógica, 2009. v.2. Curitiba: SEED/PR., 2012. (Cadernos PDE).

MACIEL, R.F. Políticas linguísticas, conhecimento local e formação de professores de línguas. In: NICOLAIDES, C.; SILVA, K.A.; TÍLIO, R.; HILSDORF, C.R. (Orgs.) Política e políticas linguísticas. Campinas, SP: Pontes Editores, 2013.p.237-261

MILLER, I. K. Formação de professores de línguas: da eficiência à reflexão crítica e ética. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.) Linguística Aplicada na Modernidade Recente. São Paulo, Parábola, 2013. p.99-121

MOITA LOPES, L.P. Linguística aplicada e vida contemporânea: problematizações dos construtos que tem orientado a pesquisa. In: MOITA LOPES, L.P. (Org.). Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006. p.85-105.

MOURA, D.H. Trabalho e formação docente na educação profissional. Curitiba, PR: Instituto Federal do Paraná, 2014. (Coleção formação pedagógica; v. 3).

MOURA, D.H. A formação de docentes para a educação profissional e tecnológica. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, 2008. p.23-38

OLIVEIRA, R.de.S.; SALES, M.A.; SILVA, A.L.G. Professor por acaso? A docência nos Institutos Federais. Revista Profissão Docente. v.7, n.37, p.5-16, ago./dez., 2017.

PENA, G.A.C. Prática docente na educação profissional e tecnológica: os conhecimentos que subsidiam os professores decursos técnicos. Formação Docente, v. 09, n. 15, p. 79-94, ago./dez. 2016.

PENA, G.A.C. Formação docente e aprendizagem da docência: um olhar sobre a educação Profissional. Educação em Perspectiva, v. 2, n. 1, p. 98-118, jan./jun. 2011.

PRODANOV, C.C; FREITAS, E.C. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2.ed. Novo Hamburgo, RS: Feevale, 2013.

SANTIAGO, R.V. O professor da educação profissional técnica e tecnológica: identidade e formação. Anais do II Congresso Nacional de Formação de Professores e XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores. Aguas de Lindóia, SP: Universidade Estadual Paulista, p.7997-8009, 2014.

SEVERINO, A.J. Metodologia do trabalho científico. 23.ed.rev.e atual. São Paulo: Cortez, 2007.

VOSGERAU, D.S.R.; ROMANOWSKI, J.P. Estudos de revisão: implicações conceituais e metodológicas. Rev. Diálogo Educacional, v. 14, n. 41, p. 165-189, jan./abr. 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v20i2.1812

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

 

 

                                               

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _< __________________________________________________