O USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS NO PLANEJAMENTO DE PROFESSORES DE INGLÊS EM PERÍODO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Michael Gouveia Sousa Júnior, Francisco Gabriel Cordeiro Silva, Marco Antônio Margarido Costa

Resumo


Este trabalho tem o objetivo geral de analisar o uso das tecnologias digitais contidas no planejamento de atividades de professores de inglês em período de estágio supervisionado. Especificamente, pretende-se (i) identificar o uso de tecnologias digitais contidas no planejamento de professores de inglês em período de estágio supervisionado e (ii) refletir sobre as implicações desse uso no desenvolvimento das atividades planejadas para o período de regência. Esta pesquisa alinha-se ao paradigma interpretativista, abordagem qualitativa e tipo documental e tem como corpus os planos de aula dos estagiários do referido curso. Como aparato teórico que norteia nossa análise, utilizamos as contribuições de Baladeli (2013), Boeres (2018), Imbernón (2011), Marzari e Leffa (2013), Marzari (2014), Perrenoud (2002), dentre outros. Na análise, foi possível perceber que a maneira como as tecnologias digitais foram utilizadas revela que esse uso resultou na produção e divulgação de poemas, em ambiente virtual, para além do espaço escola.

Palavras-chave: Tecnologia. Planejamento. Estágio supervisionado.


Palavras-chave


Tecnologias; Planejamento; Estágio

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE-COSTA, H.; MAYRINK, M. A extensão da sala presencial para o Moodle: espaço de aprendizagem, reflexão e pesquisa dos cursos de letras francês e espanhol da USP. In: SILVA, K. A.; MASTRELLA-DE-ANDRADE, M. R.; PEREIRA FILHO, C. A. A formação de professores de línguas: Políticas, projetos e parcerias. 1. ed. Campinas: Pontes Editores, 2015, p. 215-232.

BALADELI, A. P. D. Desafios na formação continuada de professores de inglês para o uso pedagógico da internet. Jundiaí: Paco Editorial, 2013.

BOERES, S. O letramento e a organização da informação digital aliados ao aprendizado ao longo da vida. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação. Campinas, SP, v. 16, n. 2, p. 483-500, mar. 2018.

CELANI, M. A. A. Um programa de formação contínua. In: professores e formadores em mudança: relato de um processo de reflexão e transformação da prática docente. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2002, p. 18-35.

CHESTERMAN, A.; WILLIAMS, J. The map: a beginner’s guide to doing research in translation studies. Manchester: St. Jerome, 2009.

FREITAS, Maria Teresa. Letramento digital e formação de professores. Educação em Revista. Belo Horizonte, v. 26, n. 3, p. 335-352, dez. 2010.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e incerteza. 9 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MARZARI, Gabriela Quatrin; LEFFA, Vilson José. O letramento digital no processo de formação de professores de línguas. Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, v. 2, p. 1-18, 2013.

MARZARI, G. Q. Repensando a sala de aula a partir do letramento digital. Entretextos, Londrina, v.14, n.2, p. 07 - 25, jul./dez. 2014.

MOTTA-ROTH, D.; HENDGES, G. R. Produção textual na universidade. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

NASCIMENTO, A. K. O. O Ensino de língua inglesa sob o viés dos letramentos digitais. In: ZACCHI, Vanderlei J.; STELLA, Paulo Rogério. (Org.). Novos letramentos, formação de professores e ensino de língua inglesa. Maceió: EDUFAL, 2014, p. 53-73.

PERRENOUD, P. et al. As competências para ensinar no século XXI: a formação dos professores e o desafio da avaliação. Trad. Cláudia Schilling e Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, p. 11-33, 2002.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência: diferentes concepções. Revista Poíesis, v. 3, n. 3 e 4, p. 5-24, 2005/2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v20i1.1766

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

 

 

                                               

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _<

 

Siga Rev Leia Escola nas redes sociais

   Instagram