ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA NA CONTEMPORANEIDADE: NOVAS IMPLICAÇÕES NO ÂMBITO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

Aline Pereira Sousa, Aluíza Alves de Araújo

Resumo


As novas formas de comunicação e interação que surgiram nas últimas décadas podem ser de grande valia para o ensino de língua estrangeira. Assim, acredita-se que uma prática pedagógica que englobe a multiculturalidade presente nas sociedades atuais possa favorecer um ensino mais interdisciplinar e, consequentemente, mais contextualizado. Contudo, admite-se que o contexto formal e regular de ensino e a formação docente podem não ser, muitas vezes, aliados. Conclui-se que, de fato, existem desafios que precisam ser superados para a implementação de novas abordagens no ensino de LE que favoreçam o posicionamento crítico do estudante. Todavia, defende-se a necessidade de tentar enfrentá-los de forma analítica e consciente ao longo da carreira acadêmica: um bom professor não é aquele que sabe mais, mas o que está em constante formação e não perde do seu horizonte o compromisso com o ensino responsável e responsivo.


Palavras-chave


Ensino de língua estrangeira. Multiletramentos. Multimodalidade. Letramento digital

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA FILHO, J. C. P. O fazer atual da linguística aplicada no Brasil: Foco no ensino de línguas. In: KLEIMAN, A. B.; CAVALCANTI, M. C. (Org.) Linguística Aplicada: Suas faces e interfaces. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2007, p. 115-124.

BAPTISTA, L. M. T. R. Multiletramentos, letramento visual e ensino de espanhol: algumas questões sobre as práticas comunicativas contemporâneas. In: BAPTISTA, L. M. T. R. (Org.) Autores e produtores de textos na contemporaneidade: multiletramentos, letramento crítico e ensino de línguas. Campinas: Pontes, 2016. p. 65-83.

BARROS, C. G. P. de. Capacidades de leitura de textos multimodais. Revista Polifonia. Cuiabá, EDUFMT, v. 16, n.19, p.161-186, 2009.

CELANI, M. A. A. Transdisciplinaridade na linguística aplicada no Brasil. In: (Orgs.) SIGNORINI, I; CAVALCANTI, M. Linguística Aplicada e transdisciplinaridade: questões e perspectivas. Campinas - SP: Mercado de Letras, 1998.

COPE, B.; KALANTZIS, M. (Eds.) Multiliteracies: Literacy Learning and the Design of Social Futures. Routlege: London, 2000.

DIONÍSIO, A. P.; VASCONCELOS, L. J.; SOUZA, M. M. Multimodalidades e Leituras: funcionamento cognitivo, recursos semióticos, convenções visuais. Recife: Pipa Comunicação, 2014.

DIONÍSIO, A. P. Multimodalidade discursiva na atividade oral e escrita. In: MARCUSCHI, L. A.; DIONÍSIO, A. P. (Orgs.). Fala e escrita. 1.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

FABRÍCIO, B. F. Linguística aplicada e visão de linguagem: por uma INdisciplinaridade radical. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 17, n. 4, p. 599-617, 2017.

FABRÍCIO, B. F. Linguística Aplicada como espaço de desaprendizagem: redescrições em curso. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.). Por uma Linguística Aplicada indisciplinar. 2. ed. São Paulo: Editora Parábola, 2008. p. 45-65.

FREITAS, M. T. Letramento digital e formação de professores. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 26, n. 03, p. 335-352, dez. 2010.

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. S. (Orgs.) Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: Unesco, 2009.

GILSTER, P. Digital literacy. New York: John Wiley & Sons. Inc., 1997.

LEFFA, V. J. Ensino de línguas: passado, presente e futuro. Revista de estudos da linguagem, [S.l.], v. 20, n. 2, p. 389-411, dez. 2012.

LEFFA, V. J. Transdisciplinaridade no ensino de línguas. A perspectiva das Teorias da Complexidade. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v.6, n. 1, p. 27-49, 2006.

LEMKE, J. L. The Coming Paradigm Wars in Education: Curriculum vs Information Access. 1994. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2019.

MARCUSCHI, L. A. A coerência no hipertexto. In: COSCARELLI, C. V.; RIBEIRO, A. E.

(Orgs.). Letramento Digital: Aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. 1ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. p. 185-208.

MOITA LOPES, L. P. Da aplicação de linguística à linguística aplicada indisciplinar. In: PEREIRA, R. C.; ROCA, P. Linguística Aplicada: um caminho com diferentes acessos. São Paulo: Contexto, 2009. p. 11-24.

MOITA LOPES, L. P. (Org.). Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. 2 ed. São Paulo: Editora Parábola, 2008.

MOITA LOPES, L. P. Fotografias da Linguística Aplicada no campo de línguas estrangeiras no Brasil. D.E.L.T.A, v. 15, 1999. p. 419-35. Número especial.

RIBEIRO, A. E. Letramento digital: um tema em gêneros efêmeros. Revista da ABRALIN, v. 8, n. 1, p. 15-38, jan./jun. 2009.

RODRIGUES, L. C. B. A formação de professor de língua estrangeira no século XXI: entre as antigas pressões e os novos desafios. SIGNUM: Estudos Linguísticos. n. 19, vol. 2, p. 13-34, dez. 2016.

ROJO, R. Gêneros do discurso, multiletramentos e hipermodernidade. IN: ROJO, R.; BARBOSA, J. P. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. São Paulo: Parábola Editorial, 2015, p. 115-145.

ROJO, R. (Org.). Escola Conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013.

ROJO, R.; MOURA, E. Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012.

SCHEIFER, C. L. et al. Transdisciplinaridade na Linguística Aplicada: um processo de desreterritorialização, um movimento do terceiro espaço. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 13, n. 3, p. 919-939, 2013.

SIGNORINI, I.; CAVALCANTI, M. C. (Org.). Linguística aplicada e transdisciplinaridade: questões e perspectivas. Campinas: Mercado de Letras, 2004.

SILVA, T. R. B. da C. Pedagogia dos multiletramentos: principais proposições metodológicas e pesquisas no âmbito nacional. Revista Letras. UFSM, v. 26, n. 52, p. 11-23, 2016.

SOUSA, J. Educação: textos de intervenção. Portugal: O liberal, 2004.

SOUZA, V. V. S. Letramento digital e formação de professores. Revista Língua Escrita, n. 2, p. 55-69, dez. 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v20i1.1732

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

 

 

                                               

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _< __________________________________________________