A DOCÊNCIA NO ESTÁGIO PÓS-DOUTORAL COMO PROCESSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Sergio Vale da Paixão, Renilson José Menegassi

Resumo


Este artigo tem como objetivo relatar a experiência vivida na docência no ensino superior no estágio pós-doutoral em que se problematizou o uso de tecnologias para fins didáticos nas aulas de Língua Portuguesa. A temática do Letramento Digital foi o ponto de partida para os trabalhos em um curso com acadêmicos de Letras da Universidade Estadual de Maringá-PR, outras temáticas também importantes emergiram, tais como: o papel de autoridade do professor nas escolas da atualidade e a avaliação da aprendizagem nas atividades propostas com o uso de tecnologias para fins de aprendizagem e avaliação. O trabalho foi realizado com uma carga horária de dez horas, de acordo com a proposta do programa de pós-graduação e teve como fundamento teórico as pesquisas de autores importantes na temática do Letramento Digital: Coscarelli; Ribeiro (2007), Coscarelli (2016), Levy (1999), Rojo & Moura (2012); e Paixão (2012; 2016).

Palavras-chave


letramento digital. formação de professores. tecnologias.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Ulisses F. A dimensão afetiva da psique humana e a educação em valores. In: ARANTES, Valéria Amorim (Org.). Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 2003.

ARROYO, M. Escola Plural. Proposta pedagógica Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte. Belo Horizonte: SMED, 1994.

BAKHTIN, Mikhail: Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2013.

BENDER, Willian N. Aprendizagem baseada em projetos: educação diferenciada para o século XXI – Porto Alegre: Penso: 2014.

COSCARELLI, Carla Viana. Entre textos e hipertextos. In: ______ (Org.). Novas tecnologias, novos textos, novas formas de pensar. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p. 65-84.

______. Tecnologias para aprender. 1. ed. – São Paulo: Parábola Editorial, 2016.

______; RIBEIRO. Ana Elisa. (Org.) Letramento Digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. 2. ed. Belo Horizonte: Ceale; Autêntica, 2007.

FERREIRA, Helenice Mirabelli Cassino; OSWALD, Maria Luiza Magalhães Bastos; CHAVES, Sarah Nery Siqueira. Juventude, pesquisa e contemporaneidade: Pensando com os jovens o rejuvenescimento do mundo. In: PEREIRA, Rita Marisa Ribes; SANTOS, Núbia de Oliveira; LOPES, Ana Elisabete Rodrigues de Carvalho. (Org.). Infância, juventude e educação: práticas e pesquisas em diálogo. 1. ed. Rio de Janeiro: Nau Ed., 2015.

MORENO, M.; SASTRE, G. O significado afetivo e cognitivo das ações. In: ARANTES, V. A. (Org.) Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 2003. p. 87-106.

PAIXÃO, Sergio Vale da. Produção escrita e Letramento Digital: Interfaces na escola e nas redes sociais. Londrina, 2012.

______. Sentimentos na rede e educação: um estudo a partir das narrativas de jovens nas redes sociais. Curitiba: CRV, 2017.

PRENSKY, Marc. Digital Natives, Digital Immigrants. MCB University Press, 2001. Disponivel em: . Acesso em: 05 out. 2016.

RIBEIRO, Ana Elisa. Novas Tecnologias para ler e escrever. Algumas ideias sobre ambientes e ferramentas digitais na sala de aula. Belo Horizonte: RHJ, 2012.

ROJO, Roxane Helena R.; MOURA, Eduardo. (Org.) Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

SANTOS, Camila Matizenauer.; BIANCALANA, Gisela Reis. Autoetinografia: um caminho metodológico para pesquisa em artes performativas. Revista Aspas. Vol. 7. N.2. 2017

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v20i1.1688

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

 

 

                                               

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _<

__________________________________________________

 

Siga Rev Leia Escola nas redes sociais

   Instagram