O CONHECIMENTO HISTÓRICO ENTRE MAPAS E JOGOS: O ENSINO DE GRÉCIA ANTIGA A PARTIR DO JOGO DE TABULEIRO

Carolina Ferreira de Figueiredo, Lucas Werlang Girardi

Resumo


Este trabalho visa refletir sobre a utilização de jogos no ensino de história a partir de uma experiência docente com estudantes do sexto ano do Ensino Fundamental. A elaboração do jogo de tabuleiro, confeccionado pelos docentes, teve como finalidade abordar questões relativas ao conteúdo de Grécia Antiga, tanto já trabalhados em sala de aula através de outras metodologias, quanto novas informações a serem refletidos a partir do jogo propriamente. Através desta experiência, discute-se neste artigo pressupostos do ensino de história que dialogam com o lúdico em sala de aula, especialmente no que diz respeito ao desenvolvimento da Consciência Histórica dos/as estudantes, visando propor um ensino-aprendizagem voltado para o uso prático e cotidiano da história, bem como o estabelecimento de conhecimentos interdisciplinares. Também, desenvolve-se uma reflexão sobre o aspecto lúdico, e como este possibilita ferramentas de socialização e aprendizagem dentro do ambiente escolar, especialmente a partir da formatação do jogo proposto.

Palavras-chave: Ensino de História. Jogos. Lúdico. Grécia Antiga. Interdisciplinaridade.


Texto completo:

PDF

Referências


ANTONI, Edson; ZALLA, Jocelito. O que o jogo ensina: práticas de construção e avaliação de aprendizagens em História. In: GIACOMINI, M. P.; PEREIRA, N. M. (org.). Jogos e ensino de história. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. [Recurso eletrônico].

BARCA, Isabel. Aula Oficina: do projeto à avaliação. In: BARCA, Isabel (org.). Para uma educação histórica com qualidade. Actas das IV Jornadas Internacionais de Educação Histórica. Braga: Universidade de Moinho, 2004. p. 131-144.

BERGMANN, Klaus. A história na reflexão didática. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 9, n. 19, 1990.

CAILLOIS, Roger. Man, Play and Games. Urbana e Chicago: University of Illinois Press, 2001.

CARISSIMI, L. B.; RADÜNZ, R. Arquivo 7.0: jogos e o ensino de História. MÉTIS: História & Cultura, v. 16, n. 31, p. 47-69, 2017.

CERRI, Luis Fernando. Os conceitos de consciência histórica e os desafios da didática da História. Revista de História Regional, n. 6, v. 2, p. 93-112, 2001.

CRUSOÉ, Nilma M. C. Prática pedagógica interdisciplinar na escola fundamental: sentidos atribuídos pelas professoras. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2010.

DAUSTER, Tania. Uma infância de curta duração: trabalho e escola. Cad. Pesq., São Paulo, n. 82, p. 31-36, 1992.

FERMIANO, M. A. B. O jogo como um instrumento de trabalho no ensino de História. Revista História Hoje, v. 3, n. 7, 2005.

FUNARI, Pedro Paulo. Grécia e Roma. São Paulo: Contexto, 2002.

GIACOMINI, M. P.; PEREIRA, N. M. (org.). Jogos e ensino de História. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. [Recurso eletrônico].

HELLER, Agnes. Uma teoria da história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1993.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens. A study of the play-element in culture. Londres: Routledge & Keegan Paul Ltd., 1980.

HÜTHER, S. F. Jogando com a história: diferentes possibilidades de aprendizagem. Monografia (Licenciatura em História) - Centro Universitário Univates, Lajeado, 2016.

IBGE. Cidades e Estados: Simonésia. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/mg/simonesia.html. Acesso em: 26 nov. 2019.

JUCHEM, H.; PEREIRA, N. M. Sobre o uso de jogos no ensino de História. Revista Brasileira de Educação Básica, v. 3, n. 7, p. 1-10, 2018.

LEE, Peter. Por que aprender história? Trad. M. A. Schmidt e M. Fonza, Educar em Revista, Curitiba, n. 42, p. 19-42, 2011.

LEITE, Maria Isabel F. P. Crianças do campo - os mudos da história? Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, v. 6, p. 170-191, 1996.

MARTÍNEZ LACY, R. El Coloso de Rodas y el terremoto de 228 a. C. Nova Tellvs, 36/2, p. 145-148, 2018.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SIMONÉSIA. História. Cidade. Disponível em: https://www.simonesia.mg.gov.br. Acesso em: 26 nov. 2019.

RAPKIEWICZ, C. E. et al. Estratégias pedagógicas no ensino de algoritmos e programação associadas ao uso de jogos educacionais. Novas Tecnologias na Educação, v. 4, n. 2, 2006.

RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa (Tomo I). Campinas: Papirus, 1994.

RÜSEN, Jörn. Didática da História: passado, presente e perspectivas a partir do caso alemão. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 1, n. 2, p. 7-16, 2006.

___________. Razão histórica. Teoria da história: os fundamentos da ciência histórica. Tradução de Estevão de Rezende Martins. Brasília: Ed. UnB, 2001.

SCHMIDT, M. A.; URBAN, A. C. Aprendizagem e formação da consciência histórica: possibilidades de pesquisa em educação histórica. Educar em Revista, Curitiba, n. 60, p. 17-42, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v20i1.1656

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

 

 

                                               

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _< __________________________________________________