O ENSINO DE PRONÚNCIA NAS AULAS DE ESPANHOL NO COLÉGIO PEDRO II – CRENÇAS E PRÁTICAS DOCENTES

José Ricardo Dordron de Pinho

Resumo


Este trabalho objetiva analisar o tratamento da pronúncia nas aulas de Espanhol do Colégio Pedro II.  Para tanto, foi aplicado um questionário aos professores com perguntas relativas às suas crenças sobre o papel da pronúncia na comunicação, à sua formação profissional e à sua efetiva prática pedagógica.  Os professores reconhecem a importância da pronúncia na comunicação.  Ao considerarem sua formação profissional, no entanto, nem todos estudaram fonética e fonologia e alguns consideram deficiente o que estudaram.  Assim, nem todos se sentem preparados para desenvolver o conteúdo que, em geral, é considerado apenas durante a leitura oral dos alunos.  Vale ressaltar que alguns docentes consideram pronúncia como a própria prática oral.  Devido aos problemas que os professores tiveram em sua formação, fazem-se necessárias atividades de formação continuada que deem conta de tais pendências e revertam a situação a favor de um conteúdo fundamental para a comunicação oral.

Palavras-chave


Ensino de Espanhol. Pronúncia. Crenças e Práticas Docentes.

Texto completo:

PDF

Referências


AURRECOECHEA MONTENEGRO, Edith. La pronunciación: Su tratamiento en el aula E/LE. In: Red Electrónica de Didáctica del Español como Lengua Extranjera. Biblioteca 2009 número 10. Primer semestre. Disponível em: www.mecd.gob.es/redele/Biblioteca-Virtual/2009.html. Acessado em 23/09/15.

FARIAS, Maria Solange de. O ensino da pronúncia nos manuais de espanhol como língua estrangeira. In: Anais do SIEL 2015. Disponível em uece.br/eventos/siel2015/anais/trabalhos.html. Acesso em 04/07/17.

GIL FERNÁNDEZ, J. Fonética para profesores de español: de la teoría a la práctica. Madrid: Arco Libros, 2007.

LIMA JÚNIOR, Ronaldo Mangueira. Uma investigação dos efeitos do ensino explícito da pronúncia na aula de inglês como língua estrangeira. In: Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 10, n. 3, Belo Horizonte, 2010. Disponível em www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=198-639820100003&Ing=pt&nrm=iso. Acesso em 30/11/15.

OLIVEIRA, Mirella Novais e KAUARK, Fabiana da Silva. Fonética e fonologia: aulas de pronúncia de E/LE no Brasil. In: Práxis Educacional, Vol. 7, No 11 (2011): Políticas Públicas em Educação. Disponível em periodicos.uesb.br/index.php/praxis/issue/view/50/showToc. Acesso em 21/07/15.

PINHO, José Ricardo Dordron de. Dando voz aos alunos – Repensando o ensino de Espanhol no Colégio Pedro II a partir das expectativas docentes. In: Inovações Pedagógicas (Coleção O novo velho Colégio Pedro II, Vol. 4). Rio de Janeiro: Colégio Pedro II, 2017.

POCH OLIVÉ, Dolors. Los contenidos fonético-fonológicos. In: SÁNCHEZ LOBATO, Jesús y SANTOS GARGALLO, Isabel. Vademécum para la formación de profesores: Enseñar español como segunda lengua (L2)/lengua extranjera (LE). Madrid: SGEL, 2008.

SOUZA, Marcela Ortiz Pagoto de. A fonética como importante componente comunicativo para o ensino de língua estrangeira. In: Prolíngua V. 2, N. 1 - Jan./Jun. de 2009. Disponível em ufpb.br/ojs2/index.php/prolingua. Acesso em 13/07/15.

USÓ VICIEDO, Lidia. La enseñanza de la pronunciación en LE: algunas consideraciones a tener en cuenta. In: Phonica, vol. 4, 2008. Universitat de Barcelona. Disponível em www. Publicacions.ub.edu/revistes/phonica4/. Acesso em 18/05/16.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v20i1.1636

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

 

 

                                               

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _< __________________________________________________