LEVAR A LER EM “LUGARES DISTANTES”: UMA PROPOSTA DE LEITURA

Alessandra Maria de Mesquita

Resumo


Este trabalho está vinculado ao Programa de Mestrado Profissional em Letras – Profletras, ao Grupo de Estudos Leitura e Intervenção em Literatura Infantil e juvenil na Escola – Lelit, da Universidade Federal do Oeste do Pará – Ufopa – e segue a linha de pesquisa Literatura infantil, literatura e educação, formação de leitor. O objetivo deste é investigar as condições e possibilidades de instituir um lugar de levar a ler em uma escola municipal de ensino fundamental no município Monte Alegre-PA. A metodologia adotada consiste em pesquisa de intervenção com a organização de uma biblioteca na escola e o desenvolvimento de atividades de leitura. O estudo iniciou no primeiro semestre de 2017 e se estendeu até outubro de 2018. A base teórica é: Britto (2012, 2015), Candido (2011), Silva (1984, 1993), Santos (2016), Bértolo (2014) e Saviani e Duarte (2010). Os resultados apontam que houve um entusiasmo da escola em utilizar a biblioteca escolar organizada e realizar atividades de leitura com os alunos. Contudo, não alcançou uma proposta mais sólida de todo o corpo docente. Algumas ações desenvolvidas foram contínuas, mas não coletivas.  


Palavras-chave


Leitura; Literatura; Formação do leitor; Biblioteca escolar

Texto completo:

PDF

Referências


BÉRTOLO, Constantino. O banquete dos notáveis: sobre leitura e crítica. Tradução Carolina Tárrio. SP: Livros da Matriz, 2014.

BOURDIEU, Pierre. Leitura, leitores, letrados, literatura. In: ________. Coisas ditas. Tradução Cássia R. da Silveira e Denise Moreno Pegorim. São Paulo: Brasiliense, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais. Brasília, 1997. 10 v.

BRASIL, Lei Nº 12.244 de 24 de maio de 2010. Dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do País. Disponível em:

BRASIL. Lei nº 10.753, de 30 de outubro de 2003. Política Nacional do Livro.Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.753.htm. Acesso em: 13 abr. 2018.

BRITTO, Luiz Percival Leme. Contra o consenso: cultura e participação. SP: Mercados das Letras, 2003.

______. No lugar da leitura - biblioteca e formação. Rio de Janeiro: Edições Brasil Literário, 2015a.

______. Ao revés do avesso: Leitura e formação. SP: Pulo do Gato, 2015b.

CAMPELLO, Bernadete Santos. et al. A biblioteca escolar: temas para uma prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012.

CANDIDO, Antonio. A literatura como direito. In: ________. Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades, 5ª ed. Corrigida pelo autor. 2011 p. 169-191.

CASTRILLÓN, Silvia. O direito de ler e escrever. São Paulo: Editora Pulo do Gato, 2011.

CHARTIER, Roger.A ordem dos livros: leitores, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XIV e XVIII. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1999.

ECO, Umberto. A literatura contra o efêmero. Folha de São Paulo- SP (publicado em 02/18/2001). Disponível em: http://biblioteca.folha.com.br/1/02/2001021801.html. Acesso em: 10 de jul. 2017.

HELLER, Agnes. Cotidiano e história. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

HILLESHEIM, Araei Isaltina de Andrade & FACHIN, Gleisy Regina Bories. Conhecer e ser uma biblioteca escolar no ensino-aprendizagem. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 4, N. 4, 1999. Disponível em: https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/340/403. Acesso em: 19 abr. 2018.

JOUVE, Vincent. A leitura. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

KOCH, Ingedore Villaça; ELIAS, Vanda Maria. Ler e compreender os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2006.

MACHADO, Ana Maria. Como e por que ler os clássicos universais desde cedo. RJ: Objetiva, 2001.

MINAYO,Maria Cecília de Souza(org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001.

PIMENTEL, Graça. Biblioteca escolar. Brasília: Universidade de Brasília, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/profunc/biblio_esc.pdf. Acesso em: 07 abr. 2018.

SILVA, Waldeck Carneiro da. Miséria da biblioteca escolar. SP: Cortez, 1999.

SILVA, Ezequiel Theodoro da. Criticidade e leitura: ensaios. SP: Global, 2009.

______. O ato de ler: fundamentos psicológicos para uma nova pedagogia da leitura. São Paulo: Cortez, 1984.

UNESCO. Manifesto da UNESCO sobre biblioteca escolar.SP: 2002. Disponível em: https://archive.ifla.org/VII/s11/pubs/portuguese-brazil.pdf. Acesso em: 07 abr. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v19i3.1554

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e repositórios

                                                        

                  

    

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _< __________________________________________________