CLUBE DE LEITURA: ESTRATÉGIA PARA FORMAÇÃO DE LEITORES

Thiago Alves Valente, Juliete Rosa Domingos

Resumo


Este trabalho apresenta o processo de implementação de um clube de leitura (clube do livro) como um espaço democrático de formação de leitores, tendo em vista o legítimo encontro entre o leitor e a leitura de literatura, em uma escola no interior paulista. O projeto foi construído com base no trabalho de Maria da Glória Bordini e Vera Teixeira de Aguiar, Literatura: a formação do leitor: alternativas metodológicas (1988), que traz reflexões sobre a leitura literária na escola em práticas da sala de aula; e nos estudos de João Luís Ceccantini (2009) que apresentam a “animação de leitura” como proposição para o trabalho de incentivo à leitura. O projeto, portanto, veio ao encontro dos princípios discutidos acerca da escolarização adequada da literatura, principalmente a denominada infantojuvenil, visto que, aliando pressupostos teóricos às práticas pedagógicas, buscou sistematizar ações que centralizaram a leitura do texto literário na escola, respeitando sua natureza específica (LAJOLO, 1982, p. 53).

Palavras-chave


Animação de leitura. Clube de leitura. Literatura infantil

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, V. T.; BORDINI, M. da G. Literatura: a formação do leitor (alternativas metodológicas). Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988.

BALSAN, S. F. de S. Nas veredas da leitura: ações para a formação de leitores autônomos. Presidente Prudente, 2018. 257p.Tese (Doutorado) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Campus de Presidente Prudente, Universidade Estadual Paulista.

CECCANTINI, J. L. Leitores iniciantes e comportamento perene de leitura. In: SANTOS, F.; MARQUES NETO, J. C.; ROSING, T. M. K. (Org.). Mediação de leitura: discussões e alternativas para a formação de leitores. São Paulo: Global, 2009, v. 1, p. 207-231.

COSSON, R. Letramento Literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2016.

FERREIRA, E. A. G. R. Construindo histórias de leitura: a leitura dialógica enquanto elemento de articulação no interior de uma biblioteca vivida. Assis, 2008. 300p. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Ciências e Letras, Campus de Assis, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”.

FERREIRA, E. A. G.; VALENTE, T. A relação afetiva com a leitura: memórias de professores. Revista Profissão Docente, Uberaba, v.12, n. 26, p.5-25, jan/jun. 2012.

LAJOLO, M. O texto não é pretexto. In: ZILBERMAN, R (Org.) Leitura em crise na escola. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1982.

MARIA, L. de. O Clube do livro: ser leitor - que diferença faz? São Paulo: Globo, 2009.

MELLO, C. J. de A.; HIDALGO, A. M.; LIRA, A. C. M. Formação do leitor como proposta pedagógica: literatura infantil e comportamento perene de leitura. In: Signo. Santa Cruz do Sul, v. 36 n.60, p. 02-16, jan.-jun., 2011. Disponível em: http://online.unisc.br/seer/index.php/signo/index Acesso em: 17 jul. 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v19i3.1534

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e repositórios

                                                        

                  

    

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _< __________________________________________________