DISCURSO E IDENTIDADE DOCENTE: UM ESTUDO COMPARATIVO DAS CAPAS DA REVISTA NOVA ESCOLA

Silvanya Suellem de Lima Romeu

Resumo


Resumo: A revista Nova Escola é uma publicação brasileira com periodicidade mensal e de ampla circulação nos meios educacionais. Desde o seu surgimento em 1986, o impresso se posiciona como objeto necessário para informar, atualizar e auxiliar o professor a desenvolver boas práticas educativas. Identificada como "a revista de quem educa", demonstra ser terreno fecundo para as investigações no campo da Educação. Questionamos como o professor é identificado no discurso das capas de Nova escola. Para compreender o objeto - sujeito professor - do qual trata este estudo e responder à problematização já estabelecida, objetivamos comparar duas capas da revista (edições 116 e 216), selecionadas para representar um década (1998-2008), e analisar a identidade docente no impresso. Os resultados da análise apontam para a construção de duas identidades opostas do professor: preparado e desqualificado. Tais resultados foram alcançados a partir do método arquegenealógico de Foucault que nos permitiu observar as estratégias discursivas da revista como mecanismo de identificação do sujeito professor.

Palavras-chave: Discurso. Identidade. Professor. Revista Nova Escola. 


Palavras-chave


Discurso. Identidade. Professor. Revista Nova Escola.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

Fontes

CIVITA, V. Carta do editor. Nova Escola, n. 1. 1986.

CIVITA, V. O que você precisa saber sobre a revista NOVA ESCOLA e a Fundação Victor Civita. Nova Escola, n. 216. 2008.

FIORE, Elizabeth de. Carta ao leitor. Nova escola, n. 116. 1998.

GROSSI, Gabriel. Carta do editor. Nova escola, n. 216. 2008.

NOVA ESCOLA. A revista do ensino fundamental, n. 116. 1998.

NOVA ESCOLA. A revista de quem educa, n. 216. 2008.

NOVA ESCOLA. Quem somos.2018. Disponível em: https://novaescola.org.br/quem-somos . Acesso em: 26 de mar. 2018.

Bibliografia

CANDIOTTO, C. Foucault e a crítica da verdade. 2ª ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

COSTA, M. V. ; SILVEIRA, R. H. A revista Nova Escola e a constituição de identidades femininas. In: BRUSCHINI, C. e BUARQUE DE HOÇANDA , H. (orgs.). Horizontes plurais: novos estudos dos gêneros no Brasil. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 1998, P. 343-378.

FONSECA, M. A da. Michel Foucault e a constituição do sujeito. São Paulo: EDUC, 2003.

FOUCAULT, M. Histoire de la sexualité I:La volonté de savoir. Paris: Gallimard, 1976.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. 18ª ed. São Paulo: Edições Loyola, 2009.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 7ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

FUNDAÇÃO LEMANN. Nossa história. Disponível em: https://fundacaolemann.org.br/somos. Acesso em 26 de mar. 2018.

FUNDAÇÃO VICTOR CIVITA. Nossa História. 2018. Disponível em: https://fvc.org.br/especiais/nossa-historia/. Acesso em 26 de mar. 2018.

GREGOLIN, M. R. Análise do discurso e mídia: a (re)produção de identidades. Comunicação, mídia e consumo. 2007. v. 4, n. 11, p.11 - 25. DOI: http://dx.doi.org/10.18568/cmc.v4i11.105 .

INDURSKY, F. A memória na cena do discurso. In: INDURSKY, F., MITTMANN, S., FERREIRA, M. C. L. (orgs.). Memória e história na/da análise do discurso. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2011, p. 1-335.

LAGÔA, A. M. A representação da professora na revista Nova Escola. Dissertação de mestrado. Rio de Janeiro, 1998. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

NAVARRO, P. Uma definição da ordem discursiva midiática. In: MILANEZ. N.; GASPAR, N. R. (orgs.). A (des)ordem do discurso. São Paulo: Contexto, 2010, P. 79-93.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. 8ª ed. Campinas SP: Pontes, 2009.

ORLANDI, E. P. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 6ªed. Campinas SP: UNICAMPI, 2007.

PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. Campinas: SP: Pontes, 1990.

PEREIRA, M. H. F. Na nossa terra, em se plantando, elefante dá: Editora Abril (1950-2006) e livros vendidos em bancas de jornal. In: BRAGANLA, A., ABREU, M. (org.). Impresso no Brasil: dois séculos de livros brasileiros. São PAULO: Unesp, 2005, p. 303 - 316.

REDAÇÃO. Nova Escola: Revista do Ensino Fundamental. Educabrasil. São Paulo: Midiamix, 2001. Disponível em: . Acesso em: 24 de mar. 2018.

REVAH, D. (2013). Escola e Nova Escola: faces de um velho espelho. História da Educação. (Online). 2013. v. 17, n. 39. p. 79-99. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S2236-34592013000100006. Acesso em: 24 de mar. 2018.

RIPA, R. Nova escola - "a revista de quem educa": a fabricação de modelos ideais do ser professor. São Carlos - SP, 2010. 227 f. Tese de Doutorado. Universidade Federal de São Carlos. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/2237/2903.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 03 de mar. 2018.

ROMEU, S. S. de L.Os sujeitos de ensino na "página policial": uma análise das identificações dos sujeitos professor e aluno construídas no gênero notícia. Campina Grande, PB, 2012. 129f. Dissertação (Mestrado em Linguagem e Ensino) - Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino, Universidade Federal de Campina Grande. Disponível em: http://posle.ufcg.edu.br/index.php?title=2012. Acesso em: 18 de mai. 2018.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Dr. Nietzsche, curriculista - com uma pequena ajuda do Professor Deleuze. In.: MOREIRA, Flávio Barbosa & MACEDO, Elizabeth Fernandes de. (orgs.). Curríclo, práticas pedagógicas e identidades. Porto, Portugal: Porto Editora, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v18i3.1259

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

 

 

                                               

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _<

 

Siga Rev Leia Escola nas redes sociais

   Instagram