ANÁLISE LINGUÍSTICA A PARTIR DE GÊNEROS NO LIVRO DIDÁTICO DE LÍNGUA PORTUGUESA: UMA VISÃO CONTRASTIVA

Karla Simões de Andrade Lima Bertotti, Renata Monteiro Mendes

Resumo


Este trabalho investiga como a análise linguística é trabalhada no livro didático de língua portuguesa a partir dos gêneros textuais. Este estudo fundamentou-se nas questões de análise linguística; na concepção dialógica da linguagem, e na abordagem do interacionismo sócio-discursivo, os quais defendem a ação dialógica da linguagem. Para análise, foram utilizadas duas coleções de livros didáticos. Como procedimento investigativo, fizemos apresentação da estrutura dos livros didáticos escolhidos e o levantamento quantitativo e qualitativo dos gêneros abordados na obra no que se refere às atividades de análise linguística. Os resultados revelaram que a prática de ensino por meio do trabalho com gêneros textuais, portanto, fornece aos alunos os conhecimentos linguísticos e textuais necessários para atuar reflexivamente em diferentes atividades comunicativas.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, I. C.. Muito além da gramática: Por um ensino sem pedras no caminho. 1ª Edição. Belo Horizonte: Ed. Parábola, 2007.

BAGNO, M. Sete erros aos quatro ventos: a variação linguística no ensino de português. São Paulo: Parábola Editorial, 2013.

BAKHTIN, M. Estética da Criação Verbal. 2. ed. São Paulo:Martins Fontes, 1992.

BAZERMAN, C. Gêneros textuais, tipificação e interação. São Paulo: Cortez, 2005.

BONINI, A. Ensino de gêneros textuais: a questão das escolhas teóricas e metodológicas. (Trabalhos em Linguística Aplicada, 2001).

BRASIL, Ministério da Educação. Guia de livros didáticos PNLD: Língua Portuguesa.Ministério da educação. Brasília: MEC, 2008.

BRASIL, Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais – Ensino fundamental– Língua Portuguesa. Brasília: MEC, 1998.

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, textos e discursos: Por um interacionismo sócio-discursivo. São Paulo: EDUC, 1999.

FÁVERO, L.L., KOCH, I, G, V. Linguística textual : introdução. São Paulo: Cortez, 2012.

GERALDI, J. Portos de Passagem. 4ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

MARCUSCHI, L. A. . Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 3..ed. São Paulo, Cortez: 2001.

______. Gêneros textuais: e funcionalidade. In: DIONÍSIO, A. P.,MACHADO, A. R. e BEZERRA, M. A. (orgs). Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.

______. A produção textual, análise de gêneros e compreensão. 3.ed.. São Paulo: Parábola Editoria, 2008.

NEVES, M. H. de M. A gramática-história, teoria, análise e ensino. São Paulo. UNESP, 2002.

ROMANELLI, O. História da Educação no Brasil: 1930-1973. Petrópolis-RJ: Vozes, 1978.

SARMENTO, L. L.. Português: leitura, produção, gramática/6º ao 9º ano. 3ed. São Paulo: Moderna, 2009.

SCHENEUWLY, B; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Trad. e org. Roxane Rojo e Gláis Sales Cordeiro. Campinas, São Paulo: Mercado das Letras, 2004.

SILVA, R. R. N. e. Professor Leitor e o Processo de Ensino In: G.L. Guimarães e T. Leal (Orgs.) Formação de Professores. Recife-PE: Bagaço, 2002.

SOARES, M. Português: uma proposta para o letramento/ 6º ao 9º ano. 1ed. São Paulo: Moderna, 2002.

SUASSUNA, L. Ensino de língua portuguesa: uma abordagem pragmática. Campinas, SP: Papirus, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.35572/rle.v17i2.1003

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Leia Escola consta nos seguintes indexadores, bancos de dados e bibliotecas

                                                   

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

A  Revista Leia Escola está licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais... _______________________ _< __________________________________________________