AS PERSPECTIVAS DO ENSINO DE GRAMÁTICA NO LIVRO DIDÁTICO: UM OLHAR SEMÂNTICO SOBRE AS PREPOSIÇÕES

Maria Vanice Lacerda de Melo BARBOSA, Erivaldo Pereira do NASCIMENTO

Resumo


RESUMO: Este trabalho discute a abordagem de conteúdos gramaticais, mais especificamente as preposições apresentadas em um livro didático. Objetivou-se verificar se o estudo sobre essas categorias gramaticais, no livro didático, concorre para o foco na metalinguagem – abordagem gramatical centrada em conteúdos puramente normativos ou se o estudo das preposições é abordado a partir da epilinguagem – ensino contextualizado, através do qual a gramática é trabalhada de forma reflexiva, levando-se em consideração o funcionamento da língua e os efeitos de sentido que tais elementos linguísticos podem produzir no ato da interlocução. Como suporte teórico, apoiamo-nos em Bunzen-Mendonça (2006), Castilho (2010), Neves (2002, 2011), Perini (2005), Possenti (1996). Para a análise, selecionamos a quinta edição do sétimo ano da coleção didática: Português: linguagens, de autoria de William Roberto Cereja e Thereza Cochar Magalhães, publicada pela Editora Atual no ano de 2009. As observações conferem a coexistência das duas práticas de ensino de gramática no livro didático aprovado pelo PNLD: uma voltada para a intensa articulação entre os eixos da Gramática Normativa, concorrendo para a explicitação de conceitos, classificações e subclassificações organizadas de acordo com as regras da variedade padrão da língua portuguesa. A segunda proposta de trabalho segue uma abordagem que parece comprometida a despertar o aluno para a gramática da língua utilizada em favor das intenções comunicativas.

 

PALAVRAS-CHAVE: Ensino. Livro didático. Preposição. Metalinguagem. Epilinguagem.

 


Texto completo:

PDF

Referências


BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 37. ed. revista, ampliada e atualizada, conforme o novo Acordo Ortográfico, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BRASÍLIA. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC / SEF, 2001.

BUNZEN, Clécio; MENDONÇA Márcia. Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

CASTILHO, Ataliba. Gramática do Português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010.

CEGALLA, Domingos Pascoal. Gramática da língua portuguesa. 46. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacionall, 2005.

CEREJA, William Roberto; MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português: linguagens. 5. ed. reformulada, São Paulo: Atual, 2009.

FARACO, Carlos Emílio; MOURA, Francisco Marto. Gramática. 19. ed. São Paulo: Ática, 2000.

MARTELOTTA, Mário Eduardo (org.). Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2008.

MESQUITA, Roberto Melo; MARTOS, Cloder Rivas. Gramática Pedagógica. 30. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

NEVES, Maria Helena de Moura. A gramática: história, teoria e análise, ensino. São Paulo: Editora Unesp, 2002.

______. Gramática de usos do português. 2 ed., São Paulo: Editora Unesp, 2011.

PERINI, Mário. Sofrendo a gramática. São Paulo: Ática, 2005

POSSENTI, Sírio. Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas – SP: Mercado das Letras, 1996 (Coleção Leituras no Brasil).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


_________________________________________________________________

PROFLETRAS - CFP - UFCG
Todos os direitos reservados®