CONSTRUÇÃO DO SABER LINGUÍSTICO NO BRASIL

Francisca Damiana Formiga PEREIRA, Fátima Maria Elias RAMOS

Resumo


O objetivo do artigo é difundir estudos sistemáticos que tocam a questão da história do conhecimento linguístico e da história da língua, articuladamente. Esses estudos objetivam conhecer a língua e o saber que se constrói sobre ela, ao mesmo tempo em que pensam a formação linguística da sociedade brasileira. Visam também fornecer uma breve reflexão sobre como se deu a construção do saber linguístico no Brasil, destacando-se, principalmente, as contribuições relevantes de Câmara Jr. para a formação desse espaço de produção. Os pressupostos teóricos provêm das leituras efetuadas em Auroux (1992); Orlandi (2001, 2002); Orlandi e Guimarães (2002) acerca das ideias linguísticas em nosso país. O resultado dessas leituras aponta, de forma crítica, que falar de Linguística é falar de um saber sobre como a Língua Portuguesa foi legitimada e institucionalizada no Brasil, ou seja, de que modo aconteceu a constituição da nossa língua nacional. Desse modo, o processo de gramatização, surgido a princípio como meio de organização por iniciativa do estado ou para alienação e catequização dos índios, foi com o tempo se tornando um saber organizado, uma questão que envolvia a formação da identidade linguística de um povo por meio de um conhecimento sistematizado.

PALAVRAS-CHAVE: Saber linguístico. História da língua. Gramatização brasileira. Identidade linguística.


Texto completo:

PDF

Referências


AUROUX, S. A revolução tecnológica da gramatização. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1992.

BALDINI, L. João Ribeiro e Mattoso Câmara entre os fatos da linguagem. In. GUIMARÃES, E. e ORLANDI, Eni P. (Orgs). Institucionalização dos estudos da linguagem. A disciplinarização das idéias lingüísticas. Campinas, SP: Pontes, 2002, p. 31-39.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007

GUIMARÃES, E. e ORLANDI, Eni P. Formação de um espaço de produção lingüística: a gramática no Brasil. In. ORLANDI, Eni P. (Org). História das idéias linguísticas: construção do saber metalingüístico e constituição da língua nacional. Campinas, SP: Pontes, 2001, p. 21-38.

GUIMARÃES, E. Entre o estilístico e o gramatical: Mattoso Câmara na história da linguística do Brasil. In. GUIMARÃES, E. e ORLANDI, Eni P. (Orgs). Institucionalização dos estudos da linguagem. A disciplinarização das idéias lingüísticas. Campinas, SP: Pontes, 2002, p. 23-30.

ORLANDI, Eni P. Ir ao Congresso: Fazer a história das idéias lingüísticas?. In. GUIMARÃES, E. e ORLANDI, Eni P. (Orgs). Institucionalização dos estudos da linguagem. A disciplinarização das idéias lingüísticas. Campinas, SP: Pontes, 2002, p. 41-62.

RODRIGUES, Suzy Lagazzi. A língua portuguesa no processo de institucionalização da linguística. In. GUIMARÃES, E. e ORLANDI, Eni P. (Orgs). Institucionalização dos estudos da linguagem. A disciplinarização das idéias lingüísticas. Campinas, SP: Pontes, 2002, p. 13-22.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


_________________________________________________________________

PROFLETRAS - CFP - UFCG
Todos os direitos reservados®