COMPETÊNCIA LEITORA: VIVENCIANDO ESTRATÉGIAS EM SALA DE AULA DO 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Shirley Monteiro Campos NUNES

Resumo


Este artigo objetiva analisar o nível de competência leitora dos alunos do 8o ano A e B, regular, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Manoel Nunes Trindade, a partir da vivência de estratégias leitoras. Para esse fim, discutimos suas experiências de leitura; selecionamos textos e propusemos atividades de leitura, considerando o emprego de procedimentos estratégicos; identificamos as estratégias empregadas antes, durante e depois das leituras, descrevendo, assim, os níveis de competência leitora. Optamos pela pesquisa qualitativa, quantitativa e participativa. As experiências de leitura, pautadas na concepção interacionista, fundamentaram-se, sobretudo, nos pressupostos teóricos de Bortoni-Ricardo; Machado; Castanheira (2013); de Solé (1998); de Marcuschi (2008) e Koch e Elias (2013) e nos PCN’s. A análise dos dados considerou o que revelaram as atividades de leitura e compreensão textual propostas e a quantificação dos dados obtidos. Identificamos, assim, um nível de competência leitora Muito bom para a turma do 8º Ano A e Bom para a do 8º B.

Palavras-Chave: Leitura. Competência Leitora. Estratégias de Leitura. 


Texto completo:

PDF

Referências


BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em língua materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

______. Nós cheguemu na escola, e agora? Sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

BORTONI-RICARDO,S. M.; MACHADO, V. R.; CASTANHEIRA, S. F. (Org). Formação do Professor como Agente Letrador. São Paulo: Contexto, 2013.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: Secretaria da Educação Fundamental, MEC/SEF, 1997a.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa. Brasília: Secretaria da Educação Fundamental, MEC/SEF, 1997b.

______. Regimento Escolar. Mãe D’água: Secretaria Municipal de Educação, 2011.

CLEMENTE, A. et al. Utilização de Métodos Quantitativos em Pesquisa Cientifica: O Caso da Associação Brasileira de Custos. ABCustos Associação Brasileira de Custos. v. 5, n. 2, p. 1-17, mai/ago. 2010.

GODOY, A. S. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 20-29, mai./jun. 1995.

GRAY, D. E. Pesquisa no Mundo Real. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

KLEIMAN, A. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 15. ed. São Paulo: Pontes, 2013a.

______. Oficina de leitura: teoria e prática. 15. ed. São Paulo: Pontes, 2013b.

______. Abordagens da leitura. Scripta, Belo Horizonte, v. 7, n. 14, 2004. p. 13-22.

KOCH, I. V. O texto e a construção dos sentidos. 10. ed. São Paulo: Contexto, 2013.

______. Desvendando os segredos do texto. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

KOCH, I. V.; ELIAS, V. M. Ler e compreender os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2013.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008.

MARTINS, M. H. O que é leitura? 19. ed. São Paulo: Brasiliense, 2012. (Coleção 74)

MOURA, A. A. V. de; MARTINS, L. R. A mediação da leitura: do projeto à sala de aula. In: BORTONI-RICARDO, S. M. et al.(Orgs.). Leitura e Mediação pedagógica. São Paulo: Parábola, 2012.

OLIVEIRA, L. A. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

PERRENOUD, P. Construir as Competências desde a Escola. Porto Alegre: Artmed, 1999.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. 2. ed. Campinas-SP: Mercado das Letras, 2010.

SILVERMAN, D. Interpretação de Dados Qualitativos: métodos para análise de entrevistas, textos e interações. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009. 376 p.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

______. Competência leitora e aprendizagem. In: CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES, 2006, Salamanca.

Comunicação, Salamanca: Fundación Germán Sanchez Ruipérez e Junta de Castilla y Leon, 2006. p. 157-161.

THIOLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 13. ed. São Paulo: Cortez, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


_________________________________________________________________

PROFLETRAS - CFP - UFCG
Todos os direitos reservados®