A SOCIOLINGUÍSTICA E AS NARRATIVAS POPULARES: A VARIAÇÃO LINGUÍSTICA DO CONTO AO RECONTO

Maria Adriana Leite ALVES

Resumo


Buscamos evidenciar à luz da Sociolinguística, as possibilidades de desenvolver um trabalho com a língua em uso, fazendo a comunhão entre esta ciência e a Literatura popular. Uma vez que a Sociolinguística possui várias vertentes, escolhemos para estudo, dentre elas, a vertente variacionista ou laboviana, especificamente do seu enfoque com a Variação linguística, no seu eixo interno à língua: a variação fonológica e desta, optamos por pesquisar os processos fonológicos de a monotongação e o alçamento das vogais médias, como forma de mostrar que é possível desenvolver em sala de aula atividades que envolvam a fala usual do nosso aluno, bem como o seu contexto sociocultural.

PALAVRAS-CHAVE: Conto popular. Sociolinguística. Variação linguística.


Texto completo:

PDF

Referências


ABAURRE-GNERRE, Maria Bernadete Marques: (1981), "Processos fonológicos segmentais como índices de padrões diversos nos estilos formal e casual do Português do Brasil", In: Cadernos de Estudos Lingüísticos, Campinas, Universidade Estadual de Campinas, n.2, p.23-45.

ARAÚJO, Aluiza Alves de. O PROJETO NORMA ORAL DO PORTUGUÊS POPULAR DE FORTALEZA NORPOFOR. Cadernos do CNFL, Rio de Janeiro: CiFEFiL, v. XV, n.5, t. 1.,p. 835-845, 2011.

BAGNO, Marcos. Preconceito Linguístico: o que é, como se faz. São Paulo: Edições Loyola, edição 49, 2007a.

___.Nada na língua é por acaso: por uma pedagogia da variação linguística. São Paulo: Parábola Editorial, 2007b.

___.Gramática Histórica: do latim ao português brasileiro. Brasília: UNB, 2007c.

BISOL, Leda. Harmonização vocálica: uma regra variável. 1981. 332 f. Tese (Doutorado em Lingüística. Área de concentração: Lingüística e Filologia) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1981.

BISOL, Leda; COLLISCHONN, Gisela (organizadoras). Português do Sul do Brasil: variação fonológica [ recurso eletrônico]. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009. 184 p.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Manual de Sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2014.

CÂMARA JÚNIOR, Joaquim Mattoso. Dicionário de lingüística e gramática. Petrópolis: Vozes, 1977.

___.História e estrutura da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Padrão, 1979.

CASCUDO, Luís Câmara. Literatura oral no Brasil. 3. ed. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Ed. Da Universidade de São Paulo, 1984.

COELHO, Izete Lehmkuhl et al. Para conhecer sociolinguística. São Paulo: Editora Contexto, 2015, (coleção para conhecer linguística).

LABOV, William. Padrões sociolinguísticos. Tradução Marcos Bagno, Maria Marta Scherre, Caroline Rodrigues Cardoso. – São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MARTINS, Marco Antonio. VIEIRA, Silvia Rodrigues. TAVARES, Maria Alice, (orgs.). Ensino de português e sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2014.

MOLLICA, Maria Cecília. BRAGA, Maria Luiza, (orgs.). Introdução a Sociolinguística: o tratamento da variação. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2015.

MONTEIRO, José Lemos. Para compreender Labov. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

OLIVEIRA, Fernão de. A gramática da linguagem portuguesa: introdução, leitura atualizada e notas por Maria Leonar Carvalho Buesco. Lisboa: Imprensa Nacional: Casa da Moeda, 1975 [1536].

PASSOS, Claiz, PASSOS, MariaEmiliana& ARAÚJO, Sumaia S.: (1980), "Implicações teóricas do levantamento pré-tônico do Português", in: Anais do V Encontro Nacional de Lingüistiea, Rio de Janeiro, PUC/RJ, VoU, p.233- 42.

SILVA, Thaïs Cristófaro.Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 10. ed. São Paulo: Contexto, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


_________________________________________________________________

PROFLETRAS - CFP - UFCG
Todos os direitos reservados®