Diversity and community composition of marine mollusks fauna on a mainland island of the coast of Paraná, southern Brazil

Marcos de Vasconcellos Gernet, Eduardo Colley, Elizângela da Veiga Santos, Carlos João Birckolz

Resumo


A Ilha do Farol é uma ilha continental, no estado do Paraná, sul do Brasil. Devido à sua posição em relação ao continente, três ambientes distintos são observados nela: área de costão rochoso exposto ao mar aberto (A); área estuarina (B); área de praia arenosa (C). Considerando que as ilhas continentais são excelentes modelos de estudo que reproduzem as condições ambientais da zona costeira em menor escala, o estudo teve como objetivo levantar e pesquisar a malacofauna marinha na Ilha do Farol e comparar sua diversidade e composição. O método de amostragem foi baseado em coletas mensais nos três ambientes da ilha durante dois anos (2011-2012). O levantamento encontrou 91 espécies: 47 Gastropoda, 41 Bivalvia e três Scaphopoda. A maior riqueza e abundância de espécies prevaleceu no ambiente A. A maior equidade foi observada em B e o maior domínio em C. Houve predominância de Gastropoda e Bivalvia em A, enquanto a frequência de Scaphopoda não variou entre os ambientes. A composição de espécies das três classes variou entre as três áreas. A variação da diversidade e composição das espécies nos três ambientes podem estar relacionados com as características naturais de cada ambiente da ilha, como salinidade e ação de ondas.

Palavras chave: Abundância, conservação, equitabililidade, levantamento, riqueza, Mollusca.

Abstract: Farol Island is a continental island in the state of Paraná, southern Brazil. Due to its position in relation to the continent, three distinct environmental areas are observed: rocky shore area with open exposure to the sea (A) estuarine area (B); sandy beach area (C). Considering that the continental islands are excellent study models that reproduce the environmental conditions of the coastal zone in a smaller scale, the study aimed at surveying and researching the marine malacofauna on the Farol Island and comparing the diversity and shellfish composition. The sampling method was based on a monthly collection in three locations for two years (2011-2012). The survey found 91 species: 47 Gastropoda, 41 Bivalvia and three Scaphopoda. The highest abundance and species richness prevailed in environmental area A. The greatest equitability was observed in B and the highest dominance in C. There was a predominance of Gastropoda and Bivalvia in A, while the frequency of Scaphopoda did not vary among environments. The species composition of the three classes varied among the three areas. The variation of diversity and species composition in the three environments may be related to the natural characteristics of each side of the island, as salinity and wave action.

Key words: Abundance, conservation, equitability, survey, richness, Mollusca.


Texto completo:

PDF

Referências


Abbate D. & Simone L.R.L. (2015) Review of Pugilina from the Atlantic, with description of a new species from Brazil (Neogastropoda, Melongenidae). African Invertebrates, 56(3): 559–577.

Abbott T.R. & Dance P.S. (2000) Compendium of seashells. El Cajon: Odyssey Publishing. 411 p.

Absalão R.S. & Pimenta A.D. (2005) Moluscos Marinhos da APA do Arquipélago de Santana, Macaé, RJ - chave para identificação das espécies do substrato inconsolidado. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna. 84 p.

Amaral A.C.Z. & Jablonski S. (2005) Conservation of marine and coastal biodiversity in Brazil. Conservation Biology, 19(3): 625–631.

Beurlen K. (1953) Considerações sobre alguns lamelibrânquios das Camadas Terezina no Paraná. Boletim do Departamento Nacional de Produção Mineral, 142: 1–41.

Beurlen K. (1957) Um Lamelibrânquio do folhelho Irati de São Mateus do Sul, Estado do Paraná. Notas preliminares e estudos do Departamento Nacional de Produção Mineral, 98: 1–5.

Bigarella J.J. (1946) Contribuição ao Estudo da Planície Litorânea do Estado do Paraná. Arquivos de Biologia e Tecnologia, 1: 75–111.

Bigarella J.J. (1949) Nota prévia sobre a composição dos sambaquis do Paraná e Santa Catarina. Arquivos de Biologia e Tecnologia, 4: 95–106.

Bigarella J.J. (2009) Matinho: Homem e Terra, reminiscências. 3° edição. Curitiba: Fundação Cultural de Curitiba. 424 p.

Bosa C.R. & Masunari S. (2002) Crustáceos decápodos associados aos bancos de Phragmatopoma caudata (Kröyer) (Polychaeta, Sabellariidae) na Praia de Caiobá, Matinhos, Paraná. Revista Brasileira de Zoologia, 19(supl. 1): 117–133.

Bouchet P., Lozouet P., Maestrati P. & Heros V. (2002) Assessing the magnitude of species richness in tropical marine environments: exceptionally high numbers of molluscs at a New Caledonia site. Biological Journal of the Linnean Society, 75: 421–436.

Caetano C.H.S., Cardoso R.S., Braga C.M. & Mattos G. (2008) Marine Molluscs from Flexeiras beach, Rio de Janeiro state, Southeastern Brazil. Strombus, 15(1): 1–7.

Claremont M., Williams S.T., Barraclough T.G. & Reid D.G. (2011) The geographic scale of speciation in a marine snail with high dispersal potential. Journal of Biogeography, 38(6): 1016–1032.

Colley E., Simone L.R.L. & Silva J.L. (2012) Uma viagem pela história da Malacologia. Estudos de Biologia, 34(83): 175–190.

Cullen-Jr. L., Rudran R. & Valladares-Pádua C. (2006) Métodos de estudos em biologia da conservação e manejo da vida silvestre. 2° edição. Curitiba: Editora da Universidade Federal do Paraná. 652 p.

Denadai M.R., Amaral A.C.Z. & Turra A. (2000) Annual variation of the malacofauna on two intertidal sandy substrates with rock fragments in southeastern Brazil. Revista Brasileira de Oceanografia, 48(2): 141–150.

Domaneschi O. & Martins C.M. (2002) Isognomon bicolor (C.B. Adams) (Bivalvia, Isognomonidae): primeiro registro para o Brasil, redescrição da espécie e considerações sobre a ocorrência e distribuição de Isognomon na costa brasileira. Revista Brasileira de Zoologia, 19(2): 611–627.

Fernandez M.A, Santos S.B, Pimenta A.D. & Thiengo S.C. (2011) Tópicos em Malacologia: Ecos do XIX Encontro Brasileiro de Malacologia. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Malacologia. 468 p.

Floeter S.R., Soares-Gomes A. & Hajdu E. (2009) Biogeografia Marinha (p. 421–441). In: Pereira R.C. & Soares-Gomes A. (Eds). Biologia Marinha. 2° edição. Rio de Janeiro: Editora Interciência. 656 p.

Gernet M.V. & Birckolz C.J. (2011) Fauna malacológica em dois sambaquis do litoral do Estado do Paraná, Brasil. Biotemas, 24(3): 39–49.

Gofferjé C.N. (1950) Contribuição à zoogeografia da malacofauna do litoral do Paraná. Arquivos do Museu Paranaense, 8: 221–282.

Gosliner T.M. & Draheim R. (1996) Indo-Pacific opisthobranch gastropod biogeography: how do we know what we don't know? American Malacological Bulletin, 12(1–2): 37–43.

Hammer Ø., Harper D.A.T. & Ryan P.D. (2001) PAST: Paleontological Statistics Software Package for Education and Data Analysis. Palaeontologia Electronica, 4(1): 1–9.

Hill M.O. (1973) Diversity and evenness: a unifying notation and its consequences. Ecology, 54(2): 427–432.

IAP - Instituto Ambiental do Paraná. Monitoramento da Balneabilidade das Praias do Litoral Paranaense. (2015) Available from: http://www.iap.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php? conteudo=297 (Accessed on 02 January 2016).

IAPAR - Instituto Agronômico do Paraná. Análise Agrometeorológica. (2015) Available from: http://www.iapar.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=667 (Accessed on 02 January 2016).

Kaiser M.J., Attrill M.J., Jennings S., Thomas D.N. & Barnes D.K.A. (2011) Marine Ecology: Processes, Systems, and Impacts. 2° edition. New York: Oxford University Press. 528 p.

Leite F.P.P., Tambourgi M.R.S. & Cunha C.M. (2009) Gastropods associated with the green seaweed Caulerpa racemosa, on two beaches of the northern coast of the State of São Paulo, Brazil. Strombus, 16(1–2): 1–10.

Liu C., Whittaker R.J., Ma K. & Malcolm J.R. (2007) Unifying and distinguishing diversity ordering methods for comparing communities. Population Ecology, 49(2): 89–100.

Magurran A.E. (2004) Measuring Biological Diversity. Oxford: Blackwell Science Ltd. 215 p.

Malaquias M.A.E. & Reid D.G. (2008) Systematic revision of the living species of Bullidae (Mollusca: Gastropoda: Cephalaspidea), with a molecular phylogenetic analysis. Zoological Journal of the Linnean Society, 153(3): 453–543.

Masunari S. & Dubiaski-Silva J. (1998) Crustacea decapoda da praia rochosa da Ilha do Farol, Matinhos, Paraná. II. Distribuição espacial e densidade das populações. Revista Brasileira de Zoologia, 15(3): 643–664.

Matinhos (1989) Lei no 241, de 11 de outubro de 1989. 1989 Available from: https://leismunicipais.com.br/a/pr/m/matinhos/lei-ordinaria/1989/25/241/lei-ordinaria-n-241-19

-tombamento-para-conservacao-de-interesse-publico?q=241 (Accessed on 02 January 2016).

McLusky D.S. & Elliott M. (1981) The feeding and survival strategies of estuarine Molluscs (p. 109–121). In: Jones N.V. & Wolff W.J. (Eds). Feeding and Survival Srategies of Estuarine Organisms, Marine Sciences 15. New York: Plenum Press. 304 p.

Morretes F.L. (1940a) Novos moluscos marinhos do Brasil. Arquivos de Zoologia do Estado de São Paulo, 2(7): 251–256.

Morretes F.L. (1940b) Algumas palavras sobre novas ocorrências e maior distribuição de moluscos na costa do Brasil. Revista da Indústria Animal, 3(4): 183–187.

Morretes F.L. (1943) Contribuição aos estudos da fauna brasileira de moluscos: resultados de uma pequena coleção de moluscos obtida pela excursão científica realizada pelo Instituto Oswaldo Cruz em Outubro de 1938. Papéis Avulsos do Departamento de Zoologia, 3(7): 111–126.

Morretes F.L. (1949) Ensaio de catálogo de moluscos do Brasil. Arquivos do Museu Paranaense, 7: 5–216.

Morretes F.L. (1953) Adenda e corrigenda ao ensaio de catálogo dos moluscos do Brasil. Arquivos do Museu Paranaense, 10(1): 37–76.

Morretes F.L. (1954) Nova Thais do Brasil. Arquivos do Museu Paranaense, 10(2): 339–340.

Oehlmann J. & Schulte-Oehlmann U. (2003) Molluscs as bioindicators (p. 577–635). In: Markert B.A., Breure A.M. & Zechmeister H.G. (Eds). Bioindicators and biomonitors: Principles, concepts and applications. Amsterdam: Elsevier. 1014 p.

Oliveira E. & Masunari S. (1995) Estrutura populacional de Petrolisthes armatus (Gibbes, 1850) (Decapoda, Anomura, Porcellanidae) da Ilha do Farol, Caiobá, Paraná. Revista Brasileira de Zoologia, 12(2): 355–371.

Palacio F.J. (1982) Revisión Zoogeográfica Marina del Sur del Brasil. Boletim Instituto Oceanográfico, 31(1): 69–92.

Peel M.C., Finlayson B.L. & McMahon T.A. (2007) Updated world map of the Köppen-Geiger climate classification. Hydrology and Earth System Sciences, 11: 1633–1644.

Peet R.K. (1974) The measurement of species diversity. Annual Review of Ecology, Evolution, and Systematics, 5: 285–307.

Poletto C.R.B. & Batista G.T. (2008) Sensibilidade ambiental das ilhas costeiras de Ubatuba, SP, Brasil. Revista Água e Ambiente, 3(2): 106–121.

Rios E.C. (1994) Seashells of Brazil. 2° edition. Rio Grande: Fundação da Universidade do Rio Grande. 368 p.

Rios E.C. (2009) Compendium of Brazilian Sea Shells. Rio Grande: Evangraf. 668 p.

Rosenberg G. (2009) Malacolog 4.1.1: A Database of Western Atlantic Marine Mollusca. 2009. Available from: http://www.malacolog.org (Accessed on 02 January 2016).

Santos S.B., Pimenta A.D., Thiengo S.C. Fernandez M.A. & Absalão R.S. (2007) Tópicos em Malacologia: Ecos do XVIII Encontro Brasileiro de Malacologia. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Malacologia. 365 p.

Simone L.R.L. (1999) Filo Mollusca (p. 129–136). In: Migotto A.E. & Tiago C.G. (Eds). Biodiversidade do Estado de São Paulo, Brasil: síntese do conhecimento ao final do século XX, no 3. São Paulo: Fapesp. 310 p.

Simone L.R.L. (2003) Histórico da Malacologia no Brasil. Revista de Biología Tropical, 51(supl. 3): 139–147.

Tóthmérész B. (1995) Comparison of different methods for diversity ordering. Journal of Vegetation Science, 6(2): 283–290.

Yates F. (1934) Contingency Tables Involving Small Numbers and the χ2 test. Supplement to the Journal of the Royal Statistical Society, 1(2): 217–235.

Ysebaert T., Meire P., Coosen J. & Essink K. (1998) Zonation of intertidal macrobenthos in the estuaries of Schelde and Ems. Aquatic Ecology, 32: 53–71.

Zanardini I.F. (1960) Uma nova espécie de Agaronia do Paraná “Olividae, Molusca”. Boletim do Instituto de História Natural, Zoologia, 2: 1–3.

Zanardini I.F. (1962) Nota sobre ostricultura. Boletim do Instituto de História Natural, Zoologia, 3: 1–7.




DOI: http://dx.doi.org/10.29215/pecen.v2i1.580

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Autor e Revista mantêm os direitos da publicação

____________________________________________
Pesquisa e Ensino em Ciências Exatas e da Natureza
Unidade Acadêmica de Ciências Exatas e da Natureza - CFP - UFCG
Cajazeiras - PB, Brasil
(ISSN 2526-8236)

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

INDEX COPERNICUS INTERNACIONAL

 

ICI WORLD OF JOURNALS