Invasão biológica por Cryptostegia madagascariensis: uma abordagem voltada para estresses abióticos

Jailma dos Santos de Medeiros, Francisco de Oliveira Mesquita, Leonaldo Alves de Andrade, Cleiton José de Oliveira, Edlânia Maria de Souza, Jânio Kleiber Camelo de Souza

Resumo


A introdução, acidental ou deliberada, de espécies exóticas por diferentes vetores é atualmente uma das principais mudanças globais, resultando em uma série de problemas. Embora nem todas as introduções de espécies não nativas possuam efeitos negativos, muitos desses táxons podem desencadear efeitos indesejáveis sobre a biodiversidade, desde o nível genético até o nível de paisagens. Este trabalho visou apresentar o conhecimento atual sobre as invasões biológicas por espécies vegetais, particularmente, sobre a invasora Cryptostegia madagascariensis Bojer ex Decne. Novas introduções são feitas anualmente em todo o mundo e apenas uma pequena parte desses táxons se tornam invasores, mesmo assim, causam sérios danos aos ecossistemas invadidos. O sucesso das plantas infestantes deve-se às características intrínsecas dessas espécies, que garantem as mesmas vantagens competitivas com as espécies nativas e ao nível de perturbação dos novos nichos, que torna os ambientes totalmente favoráveis ao estabelecimento de novas espécies e ao surgimento de áreas monodominadas. Nesse contexto, encontra-se C. madagascariensis, trepadeira de origem da ilha de Madagascar, na África, que foi introduzida no Brasil com fins ornamentais, tornando-se invasora de ecossistemas naturais, principalmente em ambientes de mata ciliar e baixadas úmidas, no domínio da Caatinga e ecossitemas associados.

Palavras chave: Espécies exóticas, Caatinga, salinização, déficit hídrico.

Abstract: The introduction, accidental or deliberate, of exotic species by different vectors is currently a major global changes, resulting in a number of local and global problems. Although not all introductions of non-native species have negative effects, many of the non-native species can have undesirable effects on biodiversity from the genetic level to the landscape. This work aimed to present the current knowledge on biological invasions by species and particularly on invasive Cryptostegia madagascariensis Bojer ex Decne. New introductions are made every year around the world and only a small part of these taxa become invasive, yet cause serious damage to ecosystems invaded. The success of weed plants is due to the intrinsic characteristics of these species that ensures the same competitive advantages with native species and the level of disruption in new niches which makes them totally supportive environments to establish new species and the emergence of monodominadas areas. In this context is C. madagascariensis, origin of climbing on the island of Madagascar in Africa, which was introduced in Brazil with ornamental purposes, becoming invasive in natural ecosystems, especially in riparian environments and humid lowlands, in the field of savanna and associated ecosystems.

Key words: Exotic species, Caatinga, salination, deficit hydride.


Texto completo:

PDF

Referências


Albuquerque M.B. (2004) Efeito dos estresses hídrico e salino na germinação, crescimento inicial e relações hídricas da mangabeira (Hancarnia specieosa Gomes). Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Botânica. Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, Pernambuco.

Andrade L.A. (2013) Plantas Invasoras: espécies exóticas invasoras da caatinga e ecossistemas associados. Campina Grande: Epgraf. 100 p.

Andrade L.A., Fabricante J.R. & Alves A.S. (2008) Algaroba (Prosopis juliflora (Sw) DC.: Impactos sobre a fitodiversidade e estratégias de colonização em área invadida na Paraíba. Natureza & Conservação, 6(1): 61–67.

Andrade L.A., Fabricante J.R. & Oliveira F.X. (2010) Impactos da invasão de Prosopis juliflora (sw.) DC. (Fabaceae) sobre o estrato arbustivo-arbóreo em áreas de Caatinga no Estado da Paraíba, Brasil. Acta Scientiarum. Biological Sciences, 32(3): 249–255. doi: 10.4025/actascibiolsci.v32i3.4535

Anselmo G.C., Carneiro L.A., Nascimento C.A., Brito C.B.M., Coelho I.M.A. & Bonilla O.H. (2010) Estudo de fitoinvasores cearenses. 62ª reunião anual da SBPC, Ciências do Mar: herança para o futuro, 1(1): 2176–1221.

Araújo F.S. & Martins F.R. (1999) Fisionomia e organização da vegetação do carrasco no planalto da Ibiapaba, estado do Ceará. Acta Botanica Brasilica, 13(1): 1–13.

Araújo H.T.N., Brito S.F. & Pinheiro C.L. (2017) A alelopatia aumenta o potencial invasor de Cryptostegia madagascariensis Bojer ex Decne.? Enciclopédia Biosfera, 14(25): 1–12.

Armcanz (2001) Agriculture and Resource Management Council of Australia and New Zealand, Australian and New Zealand Environment and Conservation Council and Forestry Ministers. Weeds of National significance rubber vine (Cryptostegia grandiflora) strategic plan. Launceston: National Weeds Strategy Executive Committee. 314 p.

Barros M.F.C., Fontes M.P.F., Alvarez V.H. & Ruiz H.A. (2005) Aplicação de gesso e calcário na recuperação de solos salino-sódicos do Estado de Pernambuco. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 9(3): 320-326.

Blossey B. (2011) Enemy release hypothesis (p. 193–195). In: Simberloff D. & Rejmanek M. (Eds). Encyclopedia of biological invasions. Berkeley: University of California Press. 792 p.

Brito S.F., Pinheiro C.L., Nogueira F.C.B., Filho S.M. & Matos D.M.S. (2015) Influence of light on the initial growth of invasive Cryptostegia madagascariensis Bojer in the Brazilian semiarid region. Acta Scientiarum. Biological Sciences, 37(3): 385–392. doi: 10.4025/actascibiols ci.v37i3.28179

Campos J.B., Tossilino M.G.P. & Muller C.R.C. (2006) Unidades de conservação ação para valorização da biodiversidade. Curitiba: Governo do Estado do Paraná. 344 p.

Cruz F.R.S., Andrade L.A. & Alves E.U. (2016) Estresse salino na qualidade fisiológica de sementes de Cryptostegia madagascariensis Bojer ex Decne. Ciência Florestal, 26(4): 1189–1199. doi: 10.5902/1980509825110

Fabricante J.R., Andrade L.A., Feitosa R.C. & Oliveira L.S.B. (2009) Respostas da Parkinsonia aculeata L. ao corte e queima em área invadida no agreste paraibano. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 4(3): 293–297. doi: 10.5039/agraria.v4i3a11

Hsiao T.C. (1973) Plant responses to water stress. Annual Review Plant Physiology, 24: 519-570.

ISSG - Invasive Species Specialist Group. (2010) A Compilation of Information Sources for Conservation Managers. Disponível em: http://www.issg.org/database (Acessado em 31.08.2014).

Klackenberg J. (2001) Revision of the genus Cryptostegia R. Br. (Apocynaceae, Periplocoideae). Adansonia, 23(2): 205–218.

Larcher W. (2006) Ecofisiologia Vegetal. São Carlos, SP: Ed. Rima Arts e Textos. 531 p.

Leal I.R., Tabarelli M. & Silva J.M.C. (2003) Ecologia e Conservação da Caatinga. Recife: Universidade Federal de Pernambuco. 804 p.

Leal I.R., Silva J.M.C., Tabarelli M. & Thomas E.L. (2005) Mudando o curso da conservação da biodiversidade da caatinga do nordeste do Brasil. Megadiversidade, 1(1): 139–146.

Leão T.C.C., Almeida W.R., Dechoum M. & Ziller S.R. (2011) Espécies Exóticas Invasoras no Nordeste do Brasil: Contextualização, Manejo e Políticas Públicas. Recife: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste e Instituto Hórus de Desenvolvimento e Conservação Ambiental. 99 p.

Lorenzi H., Souza H.M., Medeiros-Costa J.T., Cerqueira L.S.C. & Von Behr N. (1996) Palmeiras do Brasil: nativas e exóticas. Nova Odessa, SP: Editora Plantarum. 303 p.

Marchante E., Kjøller A., Struwe S. & Freitas H. (2008) Invasive Acacia longifolia induce changes in the microbial catabolic diversity of sand dunes. Soil Biology and Biochemistry, 40(10): 2563–2568. doi: 10.1016/j.soilbio.2008.06.017

Matos D.M.S. & Pivello V.R. (2009) O impacto das plantas invasoras nos recursos naturais de ambientes terrestres: alguns casos brasileiros. Ciencias Culturais, 61(1): 27–30.

Mesquita F.O., Batista R.O., Costa A.G., Malheiros S.M.M., Costa J.P.N., Oliveira Filho F.X. & Campos V.C. (2015) Irrigação com águas salina e biofertilizante na produção de fitomassa de nim. Agropecuária Científica no Semiárido, 11(1): 85–92. doi: 10.30969/acsa.v11i1.521

Mielke E.C., Negrelle R.R.B., Cuquel F.L. & Lima W.P. (2015) Espécies exóticas invasoras arbóreas no parque da Barreirinha em Curitiba: registro e implicações. Ciência Florestal, 25(2): 327–336. doi: 10.5902/1980509818451

MMA - Ministério do Meio Ambiente, dos recursos hidricos e da amazônia legal. (2002) Avaliação e ações prioritárias para a conservação da biodiversidade da caatinga. Distrito Federal: CI - Conservação Internacional, Universidade Federal de Pernambuco, Fundação Biodiversitas, Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, MMA - Ministério do Meio Ambiente. 6 p.

Mutava R.N., Prince S.J.K., Syed N.H., Song L., Valliyodan B., Chen W. & Nguyen H.T. (2015) Understanding abiotic stress tolerance mechanisms in soybean: A comparative evaluation of soybean response to drought and flooding stress. Plant Physiology and Biochemistry, 86(1): 109–120. doi: 10.1016/j.plaphy.2014.11.010

Nogueira R.J.M.C., Albuquerque M.B. & Silva Júnior J.F. (2003) Efeito do substrato na emergência, crescimento e comportamento estomática em plântulas de mangabeira. Revista Brasileira de Fruticultura, 25(1): 15–18. doi: 10.1590/S0100-29452003000100006

Pedrotti A., Chagas R.M., Ramos V.C., Prata A.P.N., Lucas A.A.A.T. & Santos P.B. (2015) Causas e consequências do processo de salinização dos solos. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, 19(2): 1308–1324. doi: 105902/2236117016544

Peronti A.L.B.G., Sousa-Silva C.R. & Willink M.C.G. (2008) Revisão das espécies de Ceroplastinae Atkinson (Hemiptera, Coccoidea, Coccidae) do Estado de São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Entomologia, 52(2): 139–181. doi: 10.1590/S0085-56262008000200001

Pezzopane C.G., Santos P.M., Cruz P.G., Altoé J., Ribeiro F.A. & Valle C.B. (2015) Estresse por deficiência hídrica em genótipos de Brachiaria brizantha. Ciência Rural, 45(5): 871–876. doi: 10.1590/0103-8478cr20130915

Pivello V.R. (2011) Invasões Biológicas no Cerrado Brasileiro: Efeitos da Introdução de Espécies Exóticas sobre a Biodiversidade. 2011. Disponível em: http://www.ecologia.info/cerrado.htm (Acessado em 20.11.2013).

Pysek P. & Richardson D.M. (2010) Invasive Species, Environmental Change and Management, and Health. Annual Review of Environment and Resources, 35: 25–55. doi: 10.1146/annurev-environ-033009-095548

Rascher K.G., Stoltenberg A.G., Maguas C., Meira-Neto J.A.A. & Werner C. (2011) Acacia longifolia invasion impacts vegetation structure and regeneration dynamics in open dunes and pine forests. Biological Invasions, 13(5): 1099–1113. doi: 10.1007/s10530-011-9949-2

Rejmánek M., Richardson D.M., Higgins S.I., Pitcairn M.J. & Grotkopp E. (2005) Ecology of Invasive Plants: State of the Art (p. 104–161). In: Mooney H.A., Mack R., McNeely J.A., Neville L.E., Schei P.J. & Waage J.K. (Eds). Invasive alien species: a new synthesis. Washington, DC: Island Press. 368 p.

Ribeiro M.R., Barros M.F.C. & Freire M.B.G.S. (2009) Química dos solos salinos e sódicos (p. 449-484). In: Melo V.F. & Alleoni L.R.F. (Eds). Química e mineralogia do solo. Volume 2. Aplicações. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. 68 p.

Richardson D.M. & Rejmanek M. (2011) Trees and shrubs as invasive alien species - a global review. Diversity and Distributions, 17: 788–809. doi: 10.1111/j.1472-4642.2011.00782.x

Richardson D.M., Pysek P., Rejmánek M., Barbour M.G., Panetta F.D. & West C.J. (2000) Naturalization and invasion of alien plants: concepts and definitions. Diversity and Distributions, 6: 93–107. doi: 10.1046/j.1472-4642.2000.00083.x

Scalon S.P.Q., Mussury R.M., Euzébio V.L.M., Kodama F.M. & Kissmann C. (2011) Estresse hídrico no metabolismo e crescimento inicial de mudas de mutambo (Guazuma ulmifolia Lam.). Ciência Florestal, 21(4): 655–662. doi: 10.5902/198050984510

Silva S.M. & Cavalcante A.M.B. (2009) Impactos Ambientais e Descrição Morfológica Comparada de Duas Espécies Fitoinvasoras (Cryptostegia grandiflora e C. madascariensis) no Estado do Ceará. Anais do IX Congresso de Ecologia do Brasil, São Lourenço-MG.

Silva J.L., Guimarães S.C. & Yamashita O.M. (2009) Germinabilidade de sementes de Chloris barbata (L.) Sw. em função de temperatura e nitrato de potássio. Revista de Ciências Agro-Ambientais, 7(1): 45–53.

Silva E.C., Nogueira R.J.M.C., Neto A.D.A. & Santos V.F. (2003) Comportamento estomático e potencial da água da folha em três espécies lenhosas cultivadas sob estresse hídrico. Acta Botanica Brasilica, 17(2): 231–246.

Silva M.O., Freire M.B.G., Mendes A.M.S., Freire F.J., Duda G.P. & Souza C.E.S. (2007) Risco de salinização em quatro solos do Rio Grande do Norte sob irrigação com águas salinas. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 2(1): 08–14.

SNIF - Sistema Nacional de Informação Florestal. (2012) Disponível em: www.florestal.gov.br (Acesso em 31.08.2014).

Sousa F.Q. (2014) Estrutura Fitossociológica de Remanescentes de Caatinga e Avaliação do Banco de Sementes do Solo em Áreas Invadidas por Cryptostegia madagascariensis Bojer ex Decne. no Estado do Ceará. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Agronomia. Universidade da Paraíba, Centro de Ciências Agrárias, Areia, Paraíba.

Sousa F.Q., Andrade L.A. & Xavier K.R.F. (2016) Cryptostegia madagascariensis Bojer ex Decne.: impactos sobre a regeneração natural em fragmentos de caatinga. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 11(1): 39–45. doi: 10.5039/agraria.v11i1a5357

Sousa L.A., Guimarães L.L., Reis A.T., Costa I.S.C., Araújo J.P., Dias F.Y.E.C., Monteiro C.C. & Bonilla O.H. (2013) Crescimento da fito invasora Cryptostegia madagascariensis submetida a estresse salino. Recife: I CONICBIO, II CONABIO, VI SIMCBIO. Volume 2. 11 p.

Souza R.C.C., Calazans S.H. & Silva E.P. (2009) Impacto das espécies invasoras no ambiente aquático. Ciência e Cultura, 61(1): 35–41.

Souza V.C., Andrade L.A., Bezerra F.T.C., Fabricante J.R. & Feitosa R.C. (2011a) Avaliação populacional de Sesbania virgata (Cav.) Pers. (Fabaceae Lindl.), nas margens do rio Paraíba. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 6(2): 314–320.

Souza E.P., Silva I.F. & Ferreira L.E. (2011b) Mecanismos de tolerância a estresses por metais pesados em plantas. Revista Brasileira de Agrociência, 17(1): 167–173.

Starr F., Starr K. & Loope L. (2003) Cryptostegia spp. - Rubber Vine, Asclepiadaceae. United States Geological Survey -- Biological Resources Division Haleakala Field Station, Maui, Hawai'i. Hawai Technology, 10: 370–383.

Tabarelli M. & Vicente A. (2002) Lacunas de conhecimento sobre as plantas lenhosas da Caatinga (p. 25–40). In: Sampaio E.V.S.B., Giulietti A.M., Virgínio J. & Gamarra-Rojas C.F.L. (Orgs) Vegetação e Flora da Caatinga. Recife: APNE/CNIP. 176 p.

Taiz L. & Zeiger E. (2004) Fisiologia vegetal. 3° edição. Porto Alegre: Artmed. 719 p.

Vieira M.F., Leite M.S.O., Grossi J.A.S. & Alvarenga E.M. (2004) Biologia reprodutiva de Cryptostegia madagascariensis Bojer ex Decne. (Periplocoideae, Apocynaceae), espécie ornamental e exótica no Brasil. Bragantia, 63(3): 325–334. doi: 10.1590/S0006-87052004000300002

Vigilato G.R. & Zampar R. (2011) Suscetibilidade das zonas de recuperação de uma unidade de conservação à invasão biológica por espécies arbóreas exóticas. Revista de Saúde e Biologia, 6(3): 25–37.

Vilà M., Espinar J.L., Hejda M., Hulme P.E., Jarosik V., Maron J.L., Pergl J., Schaffner U., Sun Y. & Pysek P. (2011) Ecological impacts of invasive alien plants: a meta-analysis of their effects on species, communities and ecosystems. Ecology Letters, 14(7): 702–708. doi: 10.1111/j.1461-0248.2011.01628.x

Zanchetta D. & Diniz F. (2006) Estudo da contaminação biológica por Pinus spp. em três diferentes áreas na Estação Ecológica de Itirapina - SP. Revista do Instituto Florestal, 18: 1–14.

Ziller S.R. (2001) Plantas exóticas invasoras: a ameaça da contaminação biológica. Ciência hoje, 30(178): 77–79.




DOI: http://dx.doi.org/10.29215/pecen.v2i1.579

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Autor e Revista mantêm os direitos da publicação

____________________________________________
Pesquisa e Ensino em Ciências Exatas e da Natureza
Unidade Acadêmica de Ciências Exatas e da Natureza - CFP - UFCG
Cajazeiras - PB, Brasil
(ISSN 2526-8236)

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

INDEX COPERNICUS INTERNACIONAL

 

ICI WORLD OF JOURNALS