Qualidade fisiológica de sementes de gergelim em função do equilíbrio higroscópico em diferentes sais

Beatriz Fernanda Silva Lima, Tanismare Tatiana Almeida, Andréa Santos Oliveira, Gustavo Lima Machado

Resumo


As sementes possuem capacidade de perder ou ganhar água, em razão da umidade relativa do ar, ou seja, quantidade de vapor d’água do ar que a circunda, a uma determinada temperatura. O presente trabalho teve por objetivo avaliar a qualidade fisiológica de sementes de gergelim após seu equilíbrio higroscópico em diferentes condições de umidades relativas. O trabalho foi desenvolvido no Laboratório de Fitotecnia da UNEMAT, Cáceres-MT e no Laboratório Central de Sementes da Universidade Federal de Lavras, Lavras-MG. Utilizou-se sementes de gergelim da cultivar BRS Seda, sendo que para alcançar o equilíbrio higroscópio foram utilizados sais que proporcionavam diferentes umidades. O teor de água das sementes foi determinado pelo método estufa a 105 oC por 24 horas, a germinação foi conduzida em 4 repetições de 50 sementes por tratamento, já as demais avaliações, testes de condutividade elétrica, tetrazólio e raios-X, foram conduzidos com 4 repetições de 25 sementes por tratamento. O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado com cinco tratamentos, onde as médias foram comparadas por meio do teste de Scott-Knott a 5%. Pode-se observar que não houve diferenças na germinação para os tratamentos propostos. As umidades 3,49%; 7,75% e 19,37% favorecem a viabilidade das sementes de gergelim.

Palavras-chave


Sesamum indicum. Teor de água. Osmocondicionamento.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Regras para análise de sementes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Brasília: Mapa/ACS, 2009. 399 p.

BORDIGNON, B. C. S. Relação das condições de armazenamento com a qualidade fisiológica de sementes e composição do óleo extraído de cultivares de soja. 2009. 90f. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

CARVALHO, N. M. e NAKAGAWA, J. Sementes: ciências, tecnologia e produção. 2.ed. Campinas: Fundação Cargill, 2000. 565p.

FRANÇA NETO, J.B.; KRZYZANOWSKI, F.C.; COSTA, N.P. O teste de tetrazólio e sementes de soja. Londrina : EMBRAPA-CNPSo, 1998. 72p.

Grilo Júnior, J. A. S.; Azevedo, P. V. de. Crescimento, desenvolvimento e produtividade do gergelim ‘BRS Seda’ na agrovila de Canudos, em Ceará Mirim (RN). Revista

Holos, v.2, p.19-33, 2013.

JESUS, L. L.; NERY, M. C.; ROCHA, A. S.; MELO, S. G. F.; CRUZ, S. M.; DIAS, D. C. F. S. Teste de tetrazólio para sementes de Sesamum indicum. Revista de Ciências Agrárias, 2015, 38(3): 422-428.

KISSMANN, C.; SCALON, S. P. Q.; MOTA, L. H. S.; VIEIRA, M. C. Germinação de sementes de Stryphnodendron Mart. Osmocondicionadas. Revista Brasileira de Sementes, vol. 32, nº 2 p. 026-035, 2010.

KULCZYNSKI, S. M.; MACHADO, E. C.; BELLÉ, C.; SANGIOGO, M.; KUHN, P. R.; SORATTO, R. P. Teste de Condutividade Elétrica para Avaliação da Qualidade Fisiológica de Sementes de Gergelim (Sesanun indicum L.). Revista Agrarian. Dourados, v.7, n.23, p.72-81, 2014.

LIMA, F. A.; SOUSA, G. G; VIANA, T. V. A.; PINHEIRO NETO, L. G.; AZEVEDO, B. M.; CARVALHO, C. M. Irrigação da cultura do gergelim em solo com biofertilizante bovino. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, v.7, p.102-111, 2013.

MESQUITA, J.B.R.; AZEVEDO, B.M.; CAMPELO, A.R.; FERNANDES, C.N.V. E VIANA, T.V.A. Crescimento e produtividade da cultura do gergelim (Sesamum indicum L.) sob diferentes níveis de irrigação. Revista Irriga, 2013, vol.18, n.2, p. 364-375.

OLIVEIRA, A. B., FILHO, E. G. Estabelecimento de plântulas de sorgo oriundas de sementes osmocondicionadas de diferentes qualidades fisiológicas. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 2011 6(2): 223-229.

PATHACK, N.; RAI, A.K.; KUMARI, R.;THAPA A.; and BHAT, K.V. (2014) Sesame Crop: An underexploited Oilseed Holds Tremendous Potential for Enhanced Food Value. Agriculture Sciences, 5, 519-529.

PEREIRA, M. D., DIAS, D. C. F. S., DIAS, L. A. S. & ARAUJO, E. F. Germination and vigor of carrot seeds primed in moistened paper and aerated solution. Revista Brasileira de Sementes, 2008, 30(2): 137-145.

VIEIRA, R.D.; KRZYZANOWSKI, F.C. Teste de condutividade elétrica. In: VIEIRA, R.D.; KRZYZANOWSKI, F.C.; FRANÇA NETO, J.B. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina, PR: ABRATES, 1999. cap.4, p.1-26.

VILLELA, F.A. O potencial de armazenamento de cada semente. Seed News, 2009. Disponível em: . Acesso em 22 de Agosto de 2016.

ZUCARELI, C., BRZEZINSKI, C. R., ABATI, L., WERNER, F., RAMOS JUNIOR, E. U., NAKAGAWA, J. Qualidade fisiológica de sementes de feijão carioca armazenadas em diferentes ambientes. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.19, n.8, p.803–809, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.30969/acsa.v17i1.1231

Apontamentos

  • Não há apontamentos.