Avaliação da rede de monitoramento de uma bacia hidrográfica do Rio Grande do Sul, Brasil

  • Lais Fernandes Moraes Programa de Mestrado Profissional em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, Porto Alegre http://orcid.org/0000-0003-4876-1741
  • Osvaldo André dos Santos Cabongo Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Rio Grande do Sul, São Leopoldo http://orcid.org/0000-0002-5683-2098
  • Cristiano Poleto, Doutor Programa de Mestrado Profissional em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, Porto Alegre http://orcid.org/0000-0001-7376-1634

Resumo

O Rio dos Sinos é um dos rios mais poluídos do Brasil. Este artigo apresenta um levantamento de informações a respeito da rede de monitoramento hidrológico da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos, estado do Rio Grande do Sul. Almejou identificar as diversas ações institucionais para avaliação da qualidade de água do rio. Foi realizada uma pesquisa documental por intermédio da qual se identificou os entes responsáveis pelo monitoramento hidrológico do Rio dos Sinos e seus afluentes. Constatou-se que há diversos órgãos responsáveis e que são variadas as frequências de amostragem de qualidade da água. A principal entidade responsável por esse monitoramento é a Fundação Estadual de Proteção Ambiental, que realiza a análise de parâmetros físicos, químicos e biológicos trimestralmente. Os titulares dos serviços de saneamento verificam em frequência horária, diária e mensal a água captada e os padrões dos efluentes lançados no rio. Outras entidades, estaduais e federais, realizam o monitoramento em estações fluviométricas e pluviométricas. Constatou-se, então, que o rio é altamente monitorado, porém não há integração dos dados. Os resultados de qualidade são disponibilizados com lapso temporal de três meses, e os resultados diários não são divulgados pelas companhias de saneamento ao público em geral.

Referências

Alvin A.T.B.; Ronca, J.L.C. 2007. Metodologia de avaliação qualitativa das ações dos Comitês de Bacias com ênfase na gestão integrada: o Comitê do Alto Tietê em São Paulo. Revista Engenharia Sanitária e Ambiental. 12(3): 325-334.
Américo-Pinheiro J.H.P.; Mirante M.H. P.; Benini S.M. 2016. Gestão e qualidade dos recursos hídricos: conceitos e experiências em bacias hidrográficas. Ed. ANAP, Tupã-SP, 95 p.
ANA, 2013. Resolução nº 903 de 22 de Julho de 2013. Cria a Rede Nacional de Monitoramento da Qualidade das Águas Superficiais e estabelece suas diretrizes, 10p. Acesso em: 22/07/2017
ANA, 2016. Conjuntura dos recursos hídricos: Informe/ Agência Nacional de Águas – Brasília: ANA. 95p. Acesso em: 22/07/2017
ANA, 2017. Portal da Qualidade das Águas. Acesso em: 24/07/2017.
ANA, 2017. Sistema de Informações Hidrológicas – HidroWeb. Acesso em: 04/08/2017
Blume, KK.; Macedo, J.C.; Meneguzzi, A.; Silva, L.B.; Quevedo, D.M.; Rodrigues, M.A.S. 2010. Water quality assessment of the Sinos River, Southern Brazil. Brazilian Journal Biology, 70(4): 1185-1193.
Callisto, M.; et al. 2012. Gestão eficiente de bacias hidrográficas no Brasil: dificuldades e perspectivas de soluções. Natureza & Conservação, 10(1): 1-4.
Carvalho, R.G. 2014. As bacias hidrográficas enquanto unidades de planejamento e zoneamento ambiental no Brasil. Caderno Prudentino de Geografia, Volume Especial (36): 26-43.
Cerqueira, L.S.; Fadul, E.; Vitória, F.T.; Morais J.L.M. 2016. Produção científica em gestão de recursos hídricos no Brasil no período de 2002 a 2011: uma análise da sua contribuição para o setor. Revista Gestão e Planejamento 17(2): 233-251.
COMITESINOS, 2014. Plano de Gerenciamento da bacia hidrográfica do Rio dos Sinos – META 3, Situação da situação Atual dos Recursos Hídricos. 148p. Acesso em: 25/08/2017
COMITESINOS, 2018. Bacia hidrográfica do Rio dos Sinos. Acesso em: 26/03/2018
DRH. 2017. Diagnóstico Preliminar – Descritivo dos eventos ocorridos no dia 05 de janeiro de 2017 entre as regiões dos municípios de S. F. de Paula e Rolante - RS. Acesso em: 28/03/2017
FEPAM. 2017. Qualidade ambiental da Região Hidrográfica do Guaíba. Acesso em: 27/04/2017
Figueiredo, J.A.S.; Drumm, E.; Rodrigues, M.A.S.; Spilki, F.R. 2010. The Rio dos Sinos watershed: an economic and social space and its interface with environmental status. Brazilian Journal of Biology, 70(4): 1131-1136.
IBGE. 2018. Panorama Cidades. Acesso em: 18/03/2018.
Junqueira, M.A.D.R.; Saiani, C.C.S; Passador, C.S. 2011. Apontamentos sobre a lei brasileira das águas: a experiência do Estado de São Paulo. Revista de Gestão 18(2): 159-175.
Lange, M.V.; Andersen, S.M.; Pascoal, J.C. 2016. Territorial management for an appropriate technological choice: the case of CIH and CIBiogás projects in Parana 3 River Basin, Parana, Brazil. Renowable Energy and Power Quality. (14): 90-95
Porto, M.F.A.; Porto, R.L.L. 2008. Gestão de Bacias Hidrográficas. Estudos Avançados, São Paulo, 22(63): 43-60.
PROSINOS. 2017. Estatuto do Consórcio Público de Saneamento Básico da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos – Pró-Sinos. Acesso em: 20/03/2017.
SEMA. 2017. Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos. Acesso em: 27/04/2017.
Silva, M.B.; Herreros, M.M.A.G.; Borges, F.Q. 2017. Gestão Integrada dos Recursos Hídricos como Política de Gerenciamento de Águas no Brasil. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria, 10.
SNIRH. 2017. Sistema de Informações de Recursos Hídricos. Acesso em 31/10/2017
Tundisi, J.G.; Matsumura-Tundisi, T.; Pareschi, D.C.; Luzia, A.P.; Von Haeling, P.H.; Frollini, E.H. 2008. A bacia hidrográfica do Tietê/Jacaré: estudo de caso em pesquisa e gerenciamento. Estudos Avançados 22(63): 159-172.
UFPEL. 2017. Grupo de Pesquisa em Hidrologia e Modelagem Hidrológica em Bacias Hidrográficas. Software SYHDA. Acesso em: 06/10/2017
Vespucci, A.G.; Santos, J.G.R., Bayer, M. 2016. Estações fluviométricas do estado de Goiás: qualificação dos dados hidrológicos disponíveis na base HIDROWEB/ANA. Revista Ateliê Geográfico. 10(3): 89-108.
Publicado
2018-05-28
Como Citar
MORAES, Lais Fernandes; CABONGO, Osvaldo André dos Santos; POLETO, Cristiano. Avaliação da rede de monitoramento de uma bacia hidrográfica do Rio Grande do Sul, Brasil. Acta Brasiliensis, [S.l.], v. 2, n. 2, p. 74-79, maio 2018. ISSN 2526-4338. Disponível em: <http://revistas.ufcg.edu.br/ActaBra/index.php/actabra/article/view/93>. Acesso em: 22 jun. 2018. doi: https://doi.org/10.22571/2526-433893.
Seção
Revisão

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##