Análise de metais em sedimentos de manguezal do Rio Passa Vaca, Salvador, Brasil

  • Leila Maria Mendes Santos Programa de Pós-Graduação em Geoquímica: Petróleo e Meio Ambiente, Universidade Federal da Bahia, Salvador
  • Rosemário Cequeira Souza Departamento de Química Analítica, Universidade Federal da Bahia, Salvador
  • Daniela Santos Anunciação Programa de Pós-Graduação em Geoquímica: Petróleo e Meio Ambiente, Universidade Federal da Bahia, Salvador
  • Zenira Cardoso Vilasboas Viana Departamento de Bioquímica e Biofísica, Universidade Federal da Bahia, Salvador
  • Vera Lúcia Câncio Souza Santos Programa de Pós-Graduação em Geoquímica: Petróleo e Meio Ambiente, Universidade Federal da Bahia, Salvador

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi fazer uma avaliação prévia das condições ambientais com relação ao aporte de concentrações de elementos metálicos no sedimento do manguezal do rio Passa Vaca, Salvador (BA). Os metais determinados foram cromo (Cr), cobre (Cu), ferro (Fe), manganês (Mn), molibdênio (Mo), níquel (Ni), bário (Ba), estrôncio (Sr), vanádio (V) e zinco (Zn). Sedimentos superficiais foram coletados em quatro pontos (P1, P2, P3 e P4) do manguezal com maiores influências antrópicas. As amostras foram pré-tratadas por digestões ácidas e as determinações dos elementos metálicos realizadas por espectroscopia de emissão ótica com plasma indutivamente acoplado (ICP OES). Os resultados reportaram maiores valores de concentrações no ponto P4, para o Fe (28101,65 µg g-1), seguido de V (62,96 µg g-1), Mn (60,57 µg g-1) e Cr (53,09 µg g-1), enquanto que no ponto P2 foi encontrada maior concentração de Zn (47,95 µg g-1). A análise de correlação e de componente principal (PCA) revelou forte correlação entre os metais estudados entre as frações mais finas do sedimento e os elementos Fe, Cr e Ni. Levando-se em consideração os valores dos efeitos limiares de efeitos adversos (TEL) do NOAA, as concentrações de Cu e Cr, em P4, superam este índice.

Referências

Andrade, C.L.N. 2011. Biogeoquímica do ambiente estuarino do rio passa vaca em área urbana de Salvador, BA. Dissertação de Mestrado, Instituto de Geociências/Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.140 p.
Berg, J.M.; Tymoczko, J.L.; Stryer, L. 2014. Bioquímica. 7a ed. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 826 p.
Brandão, F.P.; Marques, S.; Rodrigues, S.; Santos, B.; Travasso, R.; Venâncio, C.; Pereira, R.; Santaliestra, M.O.; Soares, A.M.V.M.; Gonçalves, F.; Lopes, I. 2011. Influência da temperatura na toxicidade de cobre em girinos de rã verde Pelophylax perezi. Captar Ciencia e Ambiente para Todos, 3(1): 66-77.
Campaneli, L.B.; Souza, C.M.M.; Ribeiro, T.S.; Rezende, C.E.; Azevedo, R.A.; Almeida, M.G.; Vitória, A.P. 2010. Variação espaço-temporal de metais em aguapé [Eichhornia crassipes (Mart.) Solms)], material particulado aderido às raízes de aguapé e no sedimento em dois rios do sudeste brasileiro. Biotemas, 23(4): 119-128.
CETESB-COMPANHIA DE TECNOLOGIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL. 2011.Guia nacional de coleta e preservação de amostras: Água, Sedimento, Comunidades aquáticas e Efluentes líquidos.
Chen, M.; Ma, L.Q.; Harris, W.G.1999. Baseline concentrations of 15 trace elements in Florida surface soils. Journal of Environmental Quality, 28:1173-1181.
Cheng, W.H.; Yap, C.K. 2015. Potential human health risks from toxic metals via mangrove snail consumption and their ecological risk assessments in the habitat sediment from Peninsular Malaysia. Chemosphere, 135:156-165.
Doherty, G.; Brunskill, G.; Ridd, M. 2000. Natural and enhanced concentrations of trace metals in sediments of Cleveland Bay, Great Barrier Reef Lagoon, Australia. Marine Pollution Bulletin, 41(7-12): 337-344.
Esteves, F.A. 2011. Fundamentos de limnologia. 3a. ed. Interciências, Rio de Janeiro, 826 p.
Liu, J.; Wu, H.; Feng, J.; Li, Z.; Lin, G. 2014. Heavy metal contamination and ecological risk assessments in the sediments and zoobenthos of selected mangrove ecosystems, South China. Catena, 119:136-142.
Wang, C.; Liu, S.; Zhao, Q.; Deng, L.; Dong, S. 2012. Spatial variation and contamination assessment of heavy metals in sediments in the Manwan Reservoir, Lancang River. Ecotoxicology and Environmental Safety, 82:32-39.
Lutz, E.; Thompson, M.I. 2012. Hot block digestion of soil, sediment, waste and tissue samples for total recoverable metals.
Moore, J.W.; Ramamoorthy, S. 1984. Heavy metals in natural Waters: Applied monitoring and impact assessment. Springer-Verlag, New York, 486 p.
NOAA-NATIONAL OCEANIC AND ATMOSPHERIC ADMINISTRATION. 1999. Screening Quick Reference Tables, National Oceanic and Atmospheric Administration.
Oliveira, D.D.; Souza-Santos, L.P.; Silva, H.K.P.; Macedo, S.J. 2014. Toxicity of sediments from a mangrove Forest patch in urban area in Pernambuco (Brazil). Ecotoxicology and Environmental Safety, 104:373-378.
Park, M.; Chon, H.T.; Marton, L. 2010. Mobility and accumulation of selenium and its relationship with other heavy metals in the system rocks/soils–crops in areas covered by black shale in Korea. Journal of Geochemical Exploration, 107(2): 161-168.
Pascoalini, S.S.; Lopes, D.M.; Falgueto, A.R.; Tognella, M.M.P. 2014. Abordagem ecofisiológica dos manguezais: uma revisão. Biotemas, 27(3): 1-11.
Pereira, G.C.; Ebecken, N.F.F. 2009. Knowledge discovering for coastal waters classification. Expert Systems with Application, 36(4): 8604-8609.
Primack, R.B.; Rodrigues, E. 2001. Biologia da Conservação. Planta, Londrina, 327p.
Rocha, M.B.; Silva, E.M.; Riascos, N.E.S. 2013. Avaliação da influência da oxigenação e da qualidade do sedimento sobre a sobrevivência de Scolelepis chilensis (Spionidae: Polychaeta) da Baía de Guanabara, Rio de Janeiro. Biotemas, 26(4): 85-92.
Torres, A. P.; Almeida, R. A. de 2008. Esboço sócio-ambiental da bacia hidrográfica do rio Passa Vaca, SSA-BA. GeoTextos, 4(1-2): 37-51.
Publicado
2017-05-23
Como Citar
SANTOS, Leila Maria Mendes et al. Análise de metais em sedimentos de manguezal do Rio Passa Vaca, Salvador, Brasil. Acta Brasiliensis, [S.l.], v. 1, n. 2, p. 1-7, maio 2017. ISSN 2526-4338. Disponível em: <http://revistas.ufcg.edu.br/ActaBra/index.php/actabra/article/view/44>. Acesso em: 24 set. 2017. doi: https://doi.org/10.22571/Actabra12201744.
Seção
Química Ambiental

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##