Microbiolização na qualidade de sementes e crescimento inicial de plantas de Vigna unguiculata L. Walp

Resumo

Vigna unguiculata L. Walp (feijão-caupi) tem grande importância como fonte de alimento e como gerador de emprego e renda para a população rural brasileira. O tratamento de sementes por meio da microbiolização pode beneficiar a germinação de sementes, emergência e desenvolvimento das plântulas e produção de grãos. Objetivou-se com esta pesquisa avaliar o efeito da microbiolização na germinação e sanidade de sementes, assim como o crescimento inicial de plantas de Vigna unguiculata L. Walp cv. BRS Pujante. Os organismos utilizados na microbiolização das sementes foram Bacillus subtilis (LCB30), Bacillus subtilis (LCB45), Bacillus sp. (BMH), Bacillus sp. (INV) e Trichoderma sp. Avaliou-se o percentual de germinação, o crescimento da radícula e a incidência de fungos nas sementes microbiolizadas. Em viveiro, foram utilizados os mesmos microrganismos para microbiolização em um delineamento experimental inteiramente casualizado, com 4 repetições para teste de germinação, e 10 repetições para teste em casa de vegetação. Após 51 dias de crescimento das plantas, foram analisadas a massa fresca da parte aérea (MFPA) e da raiz (MFR), massa seca da parte aérea (MSPA) e da raiz (MSR) e a contagem de nódulos (NN). Todos os tratamentos proporcionaram o incremento na germinação de sementes de V. unguiculata BRS Pujante, exceto INV, com apenas 81% das sementes germinadas. Todas as sementes microbiolizadas reduziram a incidência de fungos. A microbiolização das sementes com os diferentes microrganismos não apresentou eficiência na nodulação das plantas. O isolado LCB 30 promoveu aumento significativo na MSPA e MSR de plantas de V. unguiculata.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

Não há dados estatísticos.

Referências

Araújo, A.S.F. de., Carneiro, R.F.V., Bezerra, A.A.C. & Araújo, F.F. de. (2009). Coinoculação rizóbio e Bacillus subtilis em feijão-caupi e leucena: efeito sobre a nodulação, a fixação de N2 e o crescimento das plantas. Ciência Rural, 40(1), 182-185. doi: 10.1590/S0103-84782009005000249

Bertella, M. (2016). Microbiolização e peliculização: efeitos sobre a qualidade fisiológica e sanitária de sementes de soja e trigo (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal da Fronteira Sul, Erechim, Rio Grande do Sul. Recuperado de https://rd.uffs.edu.br/handle/prefix/542

Bezerra, G.A., Macedo, D.A., Nascimento, I.O., Sousa, T.P., Costa, N.B. & Sousa, L.F.R.A. (2013). Uso de Bacillus spp. no controle de fitopatógenos em sementes de soja variedade BRS Valiosa RR. Revista Agroecossistemas, 5(1), 68-73. doi: 10.18542/ragros.v5i1.1414

Brasil. (2009). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para Análise de Sementes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília, DF: Mapa/ACS, pp. 398.

Cerqueira, W.F., Morais, J.S., Miranda, J.S. & Mello, I.K.S. (2015). Influência de bactérias do gênero Bacillus sobre o crescimento de feijão-comum (Phaseolus vulgaris L.). Enciclopédia Biosfera, 11(20), pp. 82.

Chagas, L.F.B., Chagas Junior, A.F., Carvalho, M.R. de., Miller, L. de O. & Colonia, B.S.O. (2015). Evaluation of the phosphate solubilization potential of Trichoderma strains (Trichoplus JCO) and effects on rice biomass. Journal of Soil Science and Plant Nutrition, 15(3), 794-804. doi: 10.4067/S0718-95162015005000054

Chagas, L.F.B., Martins, A.L.L., Carvalho Filho, M.R. de; Miller, L.O., Oliveira, J.C. & Chagas Junior, A.F. (2017). Bacillus subtilis e Trichoderma sp. no incremento da biomassa em plantas de soja, feijão-caupi, milho e arroz. Agri-environmental sciences, 3(2), 10-18.

Companhia Nacional de Abastecimento - CONAB. (2018). Acompanhamento da safra brasileira de grãos: safra 2016/17 e 2017/18 décimo primeiro levantamento, 5(11), pp. 148.

Ethur, L.Z., Rocha, E.K. da., Milanesi, P., Marlove, F.B.M. & Blume, E. (2006). Sanidade de sementes e emergência de plântulas de nabo forrageiro, aveia preta e centeio submetidas a tratamentos com bioprotetor e fungicida. Ciência e Natura, 28(2), 17-27. doi: 10.5902/2179460X9700

Ferreira, D.F. (2000). Análise estatística por meio do SISVAR (Sistema para Análise de Variância) para Windows versão 4.0. In: Reunião Anual da Região Brasileira da Sociedade Internacional de Biometria, 255- 258.

Freitas, T.A.S., Barroso, D.G., Carneiro, J.G. de A., Penchel Filho, R.M.; Lamônica, K.R. & Ferreira, D. de A. (2005). Desempenho radicular de mudas de eucalipto produzidas em diferentes recipientes e substratos. Revista Árvore, 29(6), 853-861. doi: 10.1590/S0100-67622005000600003

Harman, G.E. (2000). Myth and dogmas of biocontrol changes in perceptions derived from research on Trichoderma harzianum T- 22. Plant Diasease, 84(4), 377-393. doi: 10.1094/PDIS.2000.84.4.377

Harman, G. E. (2006). Overview of mechanisms and uses of Trichoderma spp. Phytopathology, 96, 190-194. doi: 10.1094/PHYTO-96-0190

Holl, F.B., Chanway, C.P., Turkington, R. & Radley, R.A. (1988). Response of crested wheatgrass (Agropyron cristatum L.), perennial ryegrass (Lolium perenne) and white clover (Trifolium repens L.) to inoculation with Bacillus polymyxa. Soil Biology and Biochemistry, 20, 19-24. doi: 10.1016/0038-0717(88)90121-6

Junges, E., Bastos, B.O., Toebe, M., Muller, J., Pedroso, D.C. & Muniz, M.F. B. (2014). Restrição hídrica e peliculização na microbiolização de sementes de milho com Trichoderma spp. Comunicata Scientiae, 5(1), 18-25.

Junges, E. (2012). Técnicas de microbiolização de sementes de milho, feijão, nabo forrageiro e aveia preta. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul. Recuperado de https://repositorio.ufsm.br/handle/1/5063

Kapri, A. & Tewari, L. (2010). Phosphate solubilization potential and phosphatase activity of rhizospheric Trichoderma spp. Brazilian Journal of Microbiology 41(3),787-795. doi: 10.1590/S1517-83822010005000001

Krzyzanowski, F.C., Gilioli, J.L. & Miranda, L.C. (1993). Produção de sementes nos cerrados. In: Arantes, N.E. & Souza, P.I.M. Cultura da soja nos cerrados. Piracicaba: Potafos, pp.465-522.

Lanna Filho, R., Ferro, H.M., De Pinho, R.S.C. (2010). Controle biológico mediado por Bacillus subtilis. Revista Trópica: Ciências Agrárias e Biológicas, 4(2), 12-20.

Lazzareti, E. & Bettiol, W. (1997). Tratamento de sementes de arroz, trigo, feijão e soja com um produto formulado a base de células e de metabólitos de Bacillus subtilis. Scientia Agricola, 54(1-2), 89-96. doi: 10.1590/S0103-90161997000100013

Lazzaretti, E. (2005). Influência de Bacillus subtilis na promoção de crescimento de plantas e nodulação de raízes de feijoeiro. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento Nº 28. Embrapa Ambiente, pp. 15.

Luz, W.C. (1993). Microbiolização de sementes para o controle de doenças de plantas. Revista Anual de Patologia de Plantas.

Luz, W. C. (1996). Rizobactérias promotoras de crescimento de plantas e de bioproteção. Revisão Anual de Patologia de Plantas, 4, 1-49.

Machado, J.C. (2000). Tratamento de sementes no controle de doenças. Lavras: LAPS/ UFLA/ FAEPE, pp. 138.
Machado, D.F.M., Tavares, A.P., Lopes, S.J. & Silva, A.C.F. da. (2015). Trichoderma spp. na emergência e crescimento de mudas de cambará (Gochnatia polymorpha (Less.) Cabrera). Revista Árvore, 39(1). doi: 10.1590/0100-67622015000100016

Marques, E.; Santos, D. B.; Silva, J. B.T.; Martins, I.;Mello, S. C.M. (2014). Avaliação do tratamento biológico com isolados de Trichoderma spp. na germinabilidade de sementes de feijão. Cadernos de Agroecologia, 9(3).

Nakagawa, J. Testes de vigor baseados na avaliação das plântulas. In: Krzyzanoski, F.C., Vieira, R.D. & França Neto, J.B. (1999). (Ed.). Vigor em sementes: conceitos e testes. Londrina: Abrates, pp. 2.1-2.24.

Oliveira, G.R.F., Silva, M.S., Marciano, T.Y.F., Proença, S.L. & Sá, M.E. (2016). Crescimento inicial do feijoeiro em função do vigor de sementes e inoculação com Bacillus subtilis. Brazilian Journal of Biosystems Engineering, 10(4), 439-448. doi: 10.18011/bioeng2016v10n4p439-448

Oliveira, L.M. de., Schuch, L.O.B., Bruno, R. & Peske, S.T. (2015). Qualidade de sementes de feijão-caupi tratadas com produtos químicos e armazenadas em condições controladas e não controladas de temperatura e umidade. Semina: Ciências Agrárias, 36(5). doi: 10.5433/1679-0359.2015v36n3p1263

Ramamoorthy, V., Viswanathan, R., Raguchander, T., Prakasam, V. & Samiappan, R. (2015). Induction of systemic resistance by plant growth promoting rhizobacteria in crop plants against pests and diseases. Crop Protection, 20(1), 1-11. doi: 10.1016/S0261-2194(00)00056-9

Reis, G.G. & Muller, M.W. (1978). Análise de crescimento de plantas - mensuração do crescimento. Belém, pp. 35.
Rocha, W.S., Sakai, T.R., Souza, D.L.A., Junior, A.F.C. & Santos, M.M. (2017). Efeito da microbiolização na germinação e crescimento inicial de feijão caupi no Estado do Tocantins. Tecnologia & Ciência Agropecuária, 11(6), 41-47.

Silva, M.C.A., Santos, M.M. dos; Santos, M.G. dos. (2018). Uso de bioestimulante em caupi via semente e foliar em diferentes fases vegetativas. Tecnologia & Ciência Agropecuária, 12(1), 37-42.

Tarnawski, S., Hamelin, J., Jossi, M., Aragno, M. & Fromin, N. (2006). Phenotypic structure of Pseudomonas populations is altered under elevated pCO2 in the rhizosphere of perennial grasses. Soil Biology & Biochemistry, 38(6), 1193-1201. doi: 10.1016/j.soilbio.2005.10.003

Yoshikawa, M., Hirai, N., Wakabayashi, K., Sugizaki, H. & Iwamura, H. (1993). Succinic and lactic acids as plant growth promoting compounds produced by rhizosphere Pseudomonas putida. Canadian Journal of Microbiology, 39, 1150-1154. doi: 10.1139/m93-173
Publicado
2019-09-30
Como Citar
FERREIRA DE SÁ, Mylenna Nádja et al. Microbiolização na qualidade de sementes e crescimento inicial de plantas de Vigna unguiculata L. Walp. Acta Brasiliensis, [S.l.], v. 3, n. 3, p. 111-115, set. 2019. ISSN 2526-4338. Disponível em: <http://revistas.ufcg.edu.br/ActaBra/index.php/actabra/article/view/176>. Acesso em: 19 nov. 2019. doi: https://doi.org/10.22571/2526-4338176.
Seção
Microbiologia

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##