Dano em Khaya ivorensis provocado por Trigona spinipes na savana brasileira

  • Rebecca Silva de Moura Escola de Agronomia, Universidade Federal de Goiás , Goiânia.
  • Kellen Rabello de Souza Programa de Pós-graduação em Agronomia, Escola de Agronomia, Universidade Federal de Goiás, Goiânia.
  • Daniel da Silva Souza Escola de Agronomia, Universidade Federal de Goiás , Goiânia.
  • Gabriel Mendes Santana Escola de Agronomia, Universidade Federal de Goiás , Goiânia.
  • Guilherme Murilo de Oliveira Escola de Agronomia, Universidade Federal de Goiás , Goiânia.
  • Fábio Venturoli Escola de Agronomia, Universidade Federal de Goiás , Goiânia.
  • Carlos de Melo e Silva-Neto Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Goiás. http://orcid.org/0000-0001-8624-3836

Resumo

Trigona spinipes (abelhas-arapuá) atacam o broto apical da planta de Khaya ivorensis (mogno-africano), causando atrofia e brotação, provocando ramificações que irão depreciar o fuste se não manejado. Danos à cultura de K. ivorensis já foram relatados para o Brasil, porém nunca antes para a savana brasileira. O objetivo desta pesquisa foi realizar o levantamento do ataque de Trigona spinipes e relatar como primeiro registro a presença e o dano causado um plantio de mogno-africano na savana brasileira. A área apresenta cerca de 16,6 hectares de monocultivo de mogno-africano no município de Piracanjuba, Goiás, sendo utilizado 21 parcelas de 400 m², pré-definidas e o método de amostragem aleatória simples, nas quais foi realizado inventário florestal e observação de rebrotas da parte apical do caule e consequente desrama artificial das rebrotas. Também foram visualizadas as abelhas realizando atividade de forrageamento cortando os brotos de K. ivorensis. No plantio, 6,14% das árvores apresentaram rebrotas, podendo indicar a partir deste percentual a quantidade de árvores atacadas. O total de árvores com rebrota representa uma grande quantidade de árvores que poderão se desenvolver com problemas, gerando mais de um fuste ou galhos, assim impossibilitando que a madeira afetada seja utilizada para a finalidade de movelaria.

Referências

Embrapa, 2006. Sistema Brasileiro de Classificação de solos. Centro Nacional de Pesquisas de Solos. 2ª edição. Rio de Janeiro: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. 301 p.
Cardoso, M.; Marcuzzo, F.; Barros, J. 2014. Classificação climática de Köppen-Geiger para o estado de Goiás e Distrito Federal. Acta Geográfica, 8(16): 40-55.
Chiaradia, L.; Croche, D.; Milanez, J.; Morgan, C. 2003. Dano e Controle de abelha “irapuá” em eucalipto. Agropecuária catarinense, 16(1): 60-62.
Danquah, A.J.; Appiah, M.; Ari, P. 2011. Eco-geographic variation in leaf morphology of african mahogany (Khaya anthotheca and Khaya ivorensis) provenance in Gana, Victoria. European Journal of Scientific Research, 51(1): 18-28.
Falesi, I.; Baena, A. 1999. Mogno-africano (Khaya ivorensis A.Chev.) em sistema silvipastoril com leguminosa e revestimento natural do solo. Belém (Brasil): Embrapa Amazônia Oriental. 52 p.
Gallo, D.; Nakano, O.; Silveira, S.; Carvalho, R.; Baptista, G.; Berti, E.; Parra, J.; Zuchi, R, Alves.; Alves, S.; Vendramim, J.; Marchini, L.; Lopes, J.; Omoto, C. 2002. Entomologia Agrícola. Piracicaba (Brasil): Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz. 726 p.
Klein, D.R.; Andrade, M.M.; Derengoski, J.A.; Duarte, E.; Krefta, S.M.; Silveira, A.C.; Brun, E. J. 2016. General and silvicultura aspects of Cordia americana, Aspidosperma polyneuron, Toona ciliata e Khaya spp. Journal of Agroveterinary Sciences, 15(2): 155-164.
Mahroof, R.; Hauxwell, C.; Edirisingue, J.; Watt, A.; Newton, A. 2002. Effects of artificial shade on attack by the mahogany shoot borer, Hypisipyla robusta (Moore). Agricultural and Forest Entomology, 4: 283-292.
Rosa, F.O. Zoneamento edafoclimático e resposta de plantas jovens de Mogno Africano às condições do Cerrado. 2014. 85 fl. Dissertação (Mestrado em Agronomia), Universidade Federal de Goiás, Escola de Agronomia, Goiânia, 2014.
Polli, H.; Reis, G.; Reis, M. G.; Vital, B.; Pezzopane, J.; Fontan, I. 2006. Qualidade da madeira em clone de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden submetido a desrama artificial. Revista Árvore, 30(4): 557-566.
Publicado
2017-02-15
Como Citar
MOURA, Rebecca Silva de et al. Dano em Khaya ivorensis provocado por Trigona spinipes na savana brasileira. Acta Brasiliensis, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 40-42, fev. 2017. ISSN 2526-4338. Disponível em: <http://revistas.ufcg.edu.br/ActaBra/index.php/actabra/article/view/15>. Acesso em: 23 ago. 2017. doi: https://doi.org/10.22571/Actabra11201715.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##