Impactos ambientais pelo uso e ocupação do solo em sub bacias hidrográficas de Campinas, São Paulo, Brasil

Resumo

As alterações promovidas por ações antrópicas em ecossistemas localizados em habitats urbanos vêm gerando a destruição de áreas com grande importância ambiental, como o que ocorre em pequenas bacias hidrográficas que vem sofrendo como consequência constantes episódios de enchentes. Essa pesquisa analisa e discute as consequências do uso e ocupação sobre os atributos de solo estudados permitindo dessa maneira ampliar a discussão sobre as relações entre a expansão urbana e a diminuição das áreas de vegetação e das áreas permeáveis em sub bacias hidrográficas urbanas. Assim, escolheu-se como área de estudo, as sub bacias Rio das Pedras e a do Baixo Anhumas, localizadas em Campinas, São Paulo. Foram analisados, em 2014, 37 pontos ao longo das sub bacias, a fim de caracteriza-los do ponto de vista ambiental, realizando também, coleta de amostras de solo (deformadas e indeformadas) para análises laboratoriais e realização de testes de resistência mecânica a penetração. Em geral, as sub bacias analisadas vêm sofrendo ao longo dos anos processos de fragilização de seus ecossistemas. Esse cenário de impactos antrópicos do solo em ambas as bacias, permite inferir que a ocupação urbana foi a responsável direta pelas alterações e perturbações ambientais sofridas na área.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

Não há dados estatísticos.

Referências

Companhia de tecnologia em saneamento ambiental do estado de São Paulo CETESB. (2005). Decisão de Diretoria nº 195- 2005. São Paulo: CETESB. Recuperado de https://www.ministeriodesalud.go.cr/gestores_en_salud/pozoAB-1089/tabela_valores_2005.pdf
Companhia de tecnologia em saneamento ambiental do estado de São Paulo. (2014). Decisão de diretoria nº 045/2014 para valores orientadores para solos e águas subterrâneas no Estado de São Paulo. São Paulo: CETESB. Recuperado de https://cetesb.sp.gov.br/solo/wp-content/uploads/sites/18/2014/12/DD-045-2014-P53.pdf
Coelho, R. M., Torres, R. B. & Berenacci, L. C. (2007). Solos e Vegetação Nativa Remanescente no Município de Campinas, Pesquisa Agropecuária Brasileira, 42(9), 1319-1327. doi: 10.1590/S0100-204X2007000900014
Damame, D., Longo, R., Ribeiro, A. & Fengler, F. (2015). Variation of the anthropic vulnerability in Ribeirão das Pedras watershed in Campinas/SP-Brazil (vol. 17), Anais do General Assembly Conference Abstracts. Vienna, Austria. Recuperado de http://adsabs.harvard.edu/abs/2015EGUGA..17..577D
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. (1997). Manual de métodos de análise de solo. 2: revisão atual. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos. Rio de Janeiro, Rio Janeiro, Brasil. Recuperado de https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Repositorio/Manual+de+Metodos_000fzvhotqk02wx5ok0q43a0ram31wtr.pdf
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. (1979). Manual de métodos de análise de solo. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos, Rio de Janeiro, Brasil.
Environmental Protection Agency. (1996). Acid Digestion of Sediments, Sludges, and Soils. Método 3050B-SW 846.
Environmental Protection Agency. (2007). Flame Atomic Absorption Spectrophotometry. MÉTODO 7000B-SW 846.
Environmental Systems Research Institute. (2014). ArcGis 10.1 ESRI Inc.
Etto, T. L., Longo, R. M., Arruda, D. D. R. & Invenioni, R. (2013). Ecologia da paisagem de remanescentes florestais na Bacia Hidrográfica do Ribeirão das Pedras-Campinas-SP, Revista Árvore, 37(6), 1063-1071. doi: 10.1590/S0100-67622013000600007
Fengler, F. H., Moraes, J. F., Ribeiro, A. I., Peche, A., Storino, M. & Medeiros, G. A. D. (2015). Qualidade ambiental dos fragmentos florestais na Bacia Hidrográfica do Rio Jundiaí-Mirim entre 1972 e 2013, Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 19(4), 402-408. doi: 10.1590/1807-1929/agriambi.v19n4p402-408
Food and Agriculture Organization of the United Nations. (1995). Forest Resources Assessment 1990: Global Synthesis. Rome: FAO Forestry, Paper.
Freire, F. M. (2006). Cultivo do milho: Fertilidade de solos. Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo.
Instituto Agronômico. Interpretação de Resultados de Análise de Solo. Campinas: Instituto Agronômico, Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Solos e Recursos Ambientais.
Instituto Agronômico de Campinas, Fundação de Apoio à Pesquisa Agrícola. (1997). Interpretação de resultados de análise de solo. Boletim técnico, 100, 8-13.
Kiehl, E. J. (1970). Manual de edafologia: relações solo-planta. São Paulo: Ceres.
Leitão, F. H. F. (2000). Matas Ciliares: Conservação e Recuperação. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo. pp. 33-44.
Lima, P. W. & Zakia, B. M. J. (2000). Hidrologia de matas ciliares. Matas Ciliares: Conservação e Recuperação. São Paulo: Edusp. pp. 33-44. Recuperado de http://www.ipef.br/hidrologia/mataciliar.asp
Medeiros, R. B.., Pinto, A. L., São Miguel, A. E. 7 Oliveira, G. H. (2014). Avaliação da vulnerabilidade ambiental na área do assentamento São Joaquim, Selvíria. Caminhos de Geografia, 15(49), 126-137.
Mendes, I. C., Reis Jr., F. & Perreira Neto, J. V. (2002, abril). Uso de indicadores biológicos e bioquímicos para avaliar a qualidade de solos de cerrado sob plantio direto e convencional (p. 54). Anais da 26ª Reunião Brasileira de Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas, 9ª Reunião Brasileira sobre Micorrizas, 7º Simpósio Brasileiro de Microbiologia do Solo, 4ª Reunião Brasileira de Biologia do Solo. Petrolina, Pernambuco, Brasil.
Mercante, F. M., Fabricio, A. C., Machado, L. A. Z. & Silva, W. M. (2004). Parâmetros microbiológicos como indicadores da qualidade do solo sob sistemas integrados de produção agropecuária. Recuperado de https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/doc/252733
Miller Jr., G. T. (2007). Ciência ambiental. São Paulo: Thomson Learning.
Moura, S. R. F., Grigio, A. M. & Diodato, M. A. (2010). Mapeamento e Análise da Vulnerabilidade Natural e Ambiental do Município de Mossoró. Seminário Nacional de Governança Urbana e Desenvolvimento Metropolitano, Natal, Rio Grande do Norte.
Oliveira, F. F. G. & Mattos, J. T. (2014). Análise ambiental de remanescentes do bioma Mata Atlântica no litoral sul do Rio Grande do Norte - NE do Brasil. GEOUSP – Espaço e Tempo, 18(1), 165-183. doi: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2014.81095
Raij, B. V., Cantarella, H., QUAGGIO, J. A. & FURLANI, A. M. C. (1997). Recomendações de adubação e calagem para o estado de São Paulo. Boletim Técnico - Instituto Agronômico de Campinas, 2, 285.
Ralisch, R., Miranda, T. M., Okumura, R. S., Barbosa, G. M. D. C., Guimarães, M. D. F., Scopel, E. & Balbino, L. C. (2008). Resistência à Penetração de um latossolo vermelho amarelo do cerrado sob diferentes sistemas de manejo, Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 12(4), 381-384.
Rambaldi, D. M. & Oliveira, D. (2003). Fragmentação de ecossistemas: causas, efeitos sobre a biodiversidade e recomendações de políticas públicas (Vol. 6, pp. 66-99). Brasília: Secretaria de Biodiversidade e Florestas, Ministério do Meio Ambiente.
Rodrigues, R. R. & Freitas, L. F. H. (2000). Matas ciliares: conservação e recuperação (pp. 33-44). São Paulo: Edusp.
Tamanini, M. S. A. (2008), Diagnóstico Físico-Ambiental para determinação da fragilidade potencial e emergente da Bacia do Baixo Curso do Rio Passaúna em Araucária – PR (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil. Recuperado de https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/15140
Tambosi, L. R. (2014). Estratégias espaciais baseadas em ecologia de paisagens para a otimização dos esforços de restauração (Tese de doutorado). Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41134/tde-29052014-112453/en.php
Vasconcelos, R. F., Souza, E. R., Cantalice, J. R. & Silva, L. S. (2014). Qualidade física de Latossolo Amarelo de Tabuleiros Costeiros em Diferentes Sistemas de Manejo da Cana-de-Açúcar. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 18(4), 381-386. doi: 10.1590/S1415-43662014000400004
Publicado
2019-01-02
Como Citar
DAMAME, Desiree Baldin; LONGO, Regina Marcia; DE OLIVEIRA, Everton Dias. Impactos ambientais pelo uso e ocupação do solo em sub bacias hidrográficas de Campinas, São Paulo, Brasil. Acta Brasiliensis, [S.l.], v. 3, n. 1, p. 1-7, jan. 2019. ISSN 2526-4338. Disponível em: <http://revistas.ufcg.edu.br/ActaBra/index.php/actabra/article/view/108>. Acesso em: 20 mar. 2019. doi: https://doi.org/10.22571/2526-4338108.
Seção
Ecologia